Negativo: quem compra?

8 de dezembro de 2008

Se estivéssemos no Primeiro Mundo, das duas uma: ou alguém seria processado por divulgar notícia falsa, que pode prejudicar acionistas de uma empresa; ou alguém distribuiria uma nota oficial esclarecendo os fatos. A verdade é que ninguém no mercado parece acreditar muito na notícia publicada pelo Estadão de sábado, dando conta de que a americana Dell e a chinesa Lenovo estariam negociando a compra da paranaense Positivo Informática.

Segundo o jornal, executivos das duas multinacionais estiveram em Curitiba nos últimos dias, dando início às negociações, mas ainda sem fazer uma proposta formal. O presidente da Positivo, Helio Rothenberg, comentou: “Não é que não tenhamos sido procurados, mas não há absolutamente nada concreto”. Já vi esse filme antes. Tire os dois “não” da primeira frase, e fica no ar a dúvida: foi ou não foi procurado? Seria mais fácil dar uma resposta taxativa, tipo “fomos procurados” ou “não fomos procurados”. Mas a idéia, parece, é exatamente deixar a coisa no ar.

Diz ainda o Estadão, sem citar a fonte, que a Positivo hoje é uma empresa “barata”. Seu valor na Bolsa seria de R$ 409 milhões, mas suas ações já caíram 89% este ano, uma das maiores quedas do País. A empresa continua líder no segmento de notebooks, com 21,4% de participação, mas esta já foi de 57%!!! Com o aumento da concorrência das marcas populares, as perspectivas não são das melhores.

Ou seja, parece tudo conversa de quem está querendo vender. Será que alguém vai mesmo querer comprar?

Deixe uma resposta