TV na web. Ou web na TV?

3 de agosto de 2010

Numa pesquisa recente, encontrei artigo escrito por Niklas Zennström, um dos criadores do Skype, descrevendo como imagina o futuro com a integração entre TV e computador. Segundo ele, é um caminho sem volta. Zennström já pensava isso em 2004, quando lançou o sistema que virou de cabeça para baixo o mercado de telecom. Não lhe deram muita atenção, e hoje a Skype pode se dar ao luxo de escolher seus parceiros. Fechou com a Apple, e todos os iPhones passaram a sair de fábrica com o programa instalado. Agora, o mesmo irá acontecer com os smartphones da Nokia.

Na área de televisores, a Skype já tem parcerias com pelo menos três dos maiores: Samsung, LG e Panasonic. Os TVs top de linha dessas marcas também estão trazendo, embutido, o software que permite fazer ligações telefônicas gratuitas com vídeo (veja aqui uma demonstração). Ao ver o aplicativo em uma loja, são poucos os consumidores que resistem. O apelo é mesmo muito forte.

No Brasil, a Sony decidiu partir por outra linha: fechou acordos com as redes SBT e Band para que o usuário de seus TVs possa ter acesso a conteúdos especiais gerados por essas emissoras. Programas que não cabem na grade de uma TV aberta, como filmes e reportagens de longa duração, poderão ser assistidos num TV Sony conectado à rede de banda larga. E mesmo programas convencionais estarão disponíveis no formato chamado catch-up, em que o usuário faz o streaming pouco tempo após a exibição.

Sabendo que a Globo também já está avançada nos estudos sobre novas mídias, fico aqui imaginando o que acontecerá quando seus programas puderem ser assistidos também via web. Será o fim das fronteiras entre as duas mídias. Ou não?

Deixe uma resposta