Aqui jaz um ícone da tecnologia

Passou quase desapercebida na mídia a notícia de que a Sony decidiu suspender definitivamente a produção do Walkman, digo, o original, que tinha fita cassete embutida. Antes da era iPod, esse aparelho era considerado, com toda justiça, o produto mais revolucionário que a indústria eletrônica tinha criado. A ponto de o próprio Steve Jobs citá-lo como exemplo de design e criatividade. Quase 400 milhões de usuários pelo mundo afora concordaram e, a partir daí, mudaram seus hábitos de vida.

Os mais jovens não devem fazer ideia, mas antes do Walkman ninguém saía pela rua ouvindo suas músicas em fones de ouvido. Foi uma sacada genial do velho Akio Morita, ao ver garotos carregando nas costas aqueles pesados rádio-gravadores, como eram chamados os aparelhos 2-em-1 (rádio e toca-fitas no mesmo módulo). Em julho de 1979, a Sony lançou a primeira versão, permitindo que as pessoas montassem seus playlists – na época não existia essa palavra – gravados numa fita magnética e levassem suas músicas favoritas para todo lugar. O único problema é que cabiam poucas músicas numa fita; muitos – como este que vos fala – carregavam várias fitas no porta-luvas do carro; na falta de opção, deixávamos o carro estacionado ao sol e dias depois descobríamos que algumas partes das fitas estavam detonadas pelo calor.

Bem, chega de saudosismo. No ano passado, fizemos a devida homenagem, no aniversário de 30 anos do Walkman. E agora o site Yahoo americano fez um belo réquiem para esse aparelhinho que nos acompanhou até sermos libertados pelo iPod. Gravaram até este vídeo. Muito merecido. Mas, pelo visto, fita magnética, nunca mais!

2 comentarios para Aqui jaz um ícone da tecnologia

  1. Julio Cohen 29/10/2010 at 8:53 am #

    Para os saudosistas, vejam este adesivo para o iPhone 4:

    http://www.bluebus.com.br/show/1/99790/aqui_esta_1_adesivo_para_fazer_seu_iphone_ficar_com_cara_de_walkman_veja

    Abs

    Julio

  2. cezar 07/11/2010 at 3:14 am #

    Eu usei muito, o walkman quebrava um galhão naquela época.

Deixe uma resposta