Gerando empregos, no Uruguai

16 de fevereiro de 2011

Diz o site Convergência Digital: empresa brasileira produz conversores de TV Digital no Uruguai. A empresa chama-se Eletropartes e está investindo US$ 7,5 milhões no projeto. O país vizinho decidiu no ano passado adotar o padrão nipo-brasileiro ISDB-T, assim como a maioria dos países sul-americanos. O governo brasileiro empenhou-se ferozmente para convencer seus vizinhos (e também os africanos) a tomarem esse caminho; dizem até que rolou muita grana nos bastidores. A ideia era gerar uma economia de escala e, com isso, baratear os conversores. Agora, uma empresa brasileira vai produzir o conversor lá fora? Por que não produz aqui? Não tem algo de errado nessa história?

Tem sim: lá fora (leia-se: em qualquer país) é mais barato e descomplicado montar uma empresa e fabricar o que quer que seja. O que está errado, pela enésima vez, é o sistema tributário brasileiro.

Um comentario para “Gerando empregos, no Uruguai”

  1. Julio Aguiar disse:

    Não é só isto. Conheço bem o povo de lá e o daqui! Enquanto um trabalhador brasileiro vai ao trabalho para receber, e como não dá para levar nada de mão beijada, faz que trabalha, o uruguaio trabalha. Lá um empregado custa menos de 50% do seu salario em beneficios e aqui custa mais de 100%. Feriados? Atestados? Processos trabalhistas? Se eu tivesse dinheiro investiria no Uruguai e não no Brasil.

Deixe uma resposta