A volta por cima da AT&T

20 de março de 2011

Em pleno domingo, saiu uma das notícias mais importantes do mercado mundial de tecnologia: a operadora americana AT&T anunciou a compra, por US$ 39 bilhões, da T-Mobile, que pertence à alemã Deutsche Telekom. E por que essa notícia é importante? Em princípio, ela diz respeito apenas ao mercado norte-americano, onde a AT&T é hoje a segunda colocada e a T-Mobile, a quarta. Na prática, comprando a T-Mobile, a AT&T passará a ser a primeira, com cerca de 30% mais assinantes do que a Verizon.

Mas o alcance dessa fusão vai muito além. Ela ocorre no momento em que os EUA estão implantando suas redes 4G, que prometem velocidades de até 100Mbps através do padrão LTE (Long-term Evolution), tido pela maioria dos especialistas como superior ao WiMax. Os dois padrões, através de consórcios internacionais, brigam pela supremacia nos principais mercados, e o Brasil, até o momento, está mais propenso a adotar o WiMax. Com a fusão, o LTE ganha musculatura e pode virar esse jogo também por aqui.

O acordo marca também uma volta por cima da AT&T, que já foi a maior do mundo e nos últimos anos vinha perdendo espaço e sofrendo uma avalanche de críticas. Afinal, não é toda hora que uma empresa compra uma concorrente por US$ 39 bilhões!

Curiosamente, nas últimas semanas a T-Mobile vinha promovendo uma campanha publicitária com duras críticas à AT&T, como lembra o site AllThingsDigital (vejam aqui um vídeo). Seja como for, o Brasil, só pra variar, está hiper-atrasado nessa corrida: se a Anatel mal consegue monitorar e fiscalizar as redes 3G, que funcionam aos trancos, o que esperar do 4G? Só mesmo rezando…

Um comentario para “A volta por cima da AT&T”

  1. Julio Cohen disse:

    Caro Orlando,

    A notícia não me supreende tanto pois já era esperada a venda da T-Mo e a compra natural seria a AT&T, que usa a mesma tecnologia (GSM), mas que é um negócio impressionante, é. E, em termos de qualidade de serviço, a T-Mo, apesar de mais atrasada tecnologicamente, sempre foi mais bem vista. O mesmo não acontece com a AT&T…

    Só um pequeno detalhe em seu texto, a AT&T associada a T-Mobile deve ficar maior que a Verizon. Segundo a Commscore, no meio de 2010 a Verizon tinha 31% do mercado, a AT&T 25,5% e a T-Mobile, 12%. Associadas, devem assumir o primeiro lugar. Mas não se sabe até quando, já que a Sprint foi para a lanterninha das grandes e, por usar CDMA, deve ser engolida pela Verizon.

    Do ponto de vista do consumidor, só temos que lamentar. Quanto menos concorrentes, pior!

    Abs

    Julio Cohen

Deixe uma resposta