4K vs. 4K

16 de novembro de 2012

Fiquei devendo aos leitores observações mais detalhadas sobre os novos TVs UHD que a Sony e a LG estão lançando no Brasil. Desde já, digo que todo mundo deve fazer um esforço para ver de perto esses aparelhos. Sim, eles estão em pouquíssimas lojas, e pelo menos nos primeiros meses após o lançamento vai continuar sendo assim. As duas empresas estão fazendo um enorme esforço para trazê-los (do Japão e da Coreia, respectivamente), não apenas do ponto de vista financeiro – afinal, esperam ter lucro no mercado brasileiro -, mas também na logística. Dá para imaginar o que é transportar um gigante desses, pesando em torno de 80kg…

Como já comentamos aqui, estamos aguardando a chegada de exemplares para teste. Aí, sim, será possível examinar em detalhe cada um dos modelos. Os que vimos na IFA e na CES eram protótipos devidamente preparados para exibição, o que é bem diferente de usar o produto no dia-a-dia. Por enquanto, vamos nos restringir às características técnicas, divulgadas pelos fabricantes. Ambos têm 84 polegadas, reproduzem imagens 3D, funcionam em rede Wi-Fi, acessam a internet e são capazes de fazer upscaling de qualquer imagem para a resolução 4K (3.840 x 2.160 pixels).

O Sony XBR-84X905 parece ser mais avançado – e seu preço sugerido (R$ 100 mil) não deixa dúvidas quanto a isso. Vem com um processador de três chips, específico para o upscaling 4K, e essa teoricamente é uma vantagem: qualquer sinal de vídeo colocado no TV é automaticamente processado para a resolução mais alta. Digo teoricamente porque li que essa conversão no modelo da Sony não é tão precisa assim. Aqui, cabe uma explicação. Todo display, para reproduzir imagens nítidas, precisa ser preenchido com pixels. Quanto maior o tamanho, maior o número de pixels necessários. No processo de upscaling, um software recria pixels a partir dos pré-existentes e faz a chamada interpolação, para poder encher toda a superfície da tela. É natural, portanto, que uma imagem originalmente ruim, ao ser ampliada, continue sendo ruim. Nenhum display faz milagres.

Diferentemente do modelo LG, o Sony 4K vem com um poderoso (para os padrões de um TV) sistema de áudio embutido, que libera 50 watts de potência. São dez alto-falantes, sendo cinco de cada lado da tela (dois woofers, um tweeter e dois subwoofers). A versão lançada nos EUA, com backlight do tipo Local Dimming, inclui ainda simulador surround e a função SimulView, ideal para games, na qual os dois jogadores visualizam a tela toda, com óculos 3D, ampliando a sensação de envolvimento. Aqui, a Sony ainda não informou se essas características serão mantidas.

Já o LG 84LM9600 tem preço sugerido bem mais baixo que o concorrente (R$ 44.999), mas utiliza backlight Edge-lit, que na teoria é inferior. Enquanto no painel Local Dimming os leds atuam sobre toda a superfície interna, gerando luz mais intensa e homogênea, nos Edge-lit os leds estão apenas nas laterais do display – a luz se espalha através de difusores, que não têm a mesma intensidade. No entanto, será preciso checar na prática se essa diferença é visível na tela, porque o desempenho final também depende da qualidade dos leds e da alimentação elétrica do aparelho.

Um diferencial importante desse aparelho é o que a LG está anunciando como Personal Tech. A empresa promete enviar à casa de cada consumidor que adquirir o TV um técnico encarregado de fazer a instalação e os ajustes de som e imagem, além de personalizar os aplicativos e orientar o usuário. De início, esse serviço estará disponível somente para quem mora em São Paulo ou Rio de Janeiro. De qualquer maneira, é a primeira vez que um fabricante tem essa preocupação.

O TV UHD da LG também possui sistema de áudio embutido (2.2 canais), com 50W, e processador dual-core, além de outros recursos já encontrados nos modelos top de linha dessa marca, como controle remoto com reconhecimento de voz. Mais detalhes no site americano da empresa, embora a versão a ser lançada aqui possa ser ligeiramente diferente.

Em tempo: ontem, surgiu a notícia de que a Samsung decidiu antecipar o lançamento de seu TV 4K. A empresa, que até hoje não demonstrou esse tipo de produto, pretende fazê-lo na CES, em janeiro. Só para se diferenciar da concorrência, será um TV de 85, e não 84, polegadas.

5 Replies to “4K vs. 4K”

  1. Paulo disse:

    Caro Orlando,

    Certamente verei de perto estes modelos logo que souber que estão em exibição. Mas por melhor que seja a imagem, não considero que o valor de R$ 45 mil seja justificado, quiçá os R$ 100 mil da Sony.

    Creio que ficaremos, ainda, um booom tempo curtindo os velhos plasma e LED com “apenas” 1080p, rsrs.

    Abs!

  2. JOSÉ CARLOS disse:

    Olá Orlando .

    Primeiro quero deixar bem claro o quanto me orgulho do Senhor , em ter todo esse conhecimento em tecnologia e também ter a satisfação de sempre estar ao vivo nas grandes Feiras de tcnologia no Mundo a fora , como a CES , com o previlegio de ser um dos primeiros em ver ao vivo ,os principais lançamentos das grandes marcas como Sony , Panasonic , Lg ,Samsung e outras ..
    Tenho uma duvida ; recentemente li sua materia dizendo das tvs OLED , onde o mesmo fala da excelente qualidade de imagem desse tecnologia em seus tvs , e acresçenta mais ou menos assim ; ” se pensamos no amanhã em comprar um tv ,podemos ir fazendo uma reserva para investir na tv OLED …”
    Se tiver o dimdim , compramos essas acima da materia LG ou Sony ou é melhor aguardar as tvs OLED, quando o assunto é qualidade de iimagem ? E a panasonic , aguma novidade quentinha quanto ao lançamento de seu tv OLED ?
    Sou fã da marca panasonic onde tenho a plasma viera de 58 polegadas , pela excelente qualidade de imagem , contraste -verdadeiro carvão- e as cores vivas e muito ao natural e acredito que pelo que venho lendo a OLED sera a revolução da qualidade de imagem se tratando de tv .
    Um abraço a todos e se possivel aguardo a resposta. Saudações .

  3. Orlando Barrozo disse:

    Olá José Carlos, obrigado pela mensagem. Os TVs OLED ainda devem demorar. Talvez em 2013, mas mesmo essa data é duvidosa. Vai depender muito do sucesso (ou não) dos modelos 4K, que estão saindo agora. Como já comentamos aqui, OLED é uma tecnologia muito complexa e a fabricação em alta escala ainda custa muito caro. Samsung e LG, que parecem ser as mais adiantadas, falam em final do ano que vem. Ou seja, as demais provavelmente só conseguirão lançar em 2014. Abs. Orlando.

  4. Orlando Barrozo disse:

    Valeu, Paulo. Obrigado pela mensagem. Abs. orlando

  5. joao disse:

    ola, é incrivel o avanço da tecnologia. gastei 6.000 no lançamento da 3d, agora vou gastar 100.000 na 4k, ja estou reservando mais 200.000 para oled de 2014! é corrida do gato (eu) e o rato(tecnologia), impossivel fazer parar…

Deixe uma resposta