TVs 4K: fabricantes aquecem os motores

TV4KCSaiu o primeiro relatório da consultoria NPD DisplaySearch específico sobre o segmento de TVs 4K. E os dados são relativamente otimistas. Lançados comercialmente em novembro passado, esses TVs devem aumentar bastante sua participação este ano, a julgar pelo ânimo dos fabricantes de painéis LCD. Com base em informações deles, a empresa de pesquisas estima que até o final de 2013 serão colocados no mercado mundial cerca de 2,6 milhões de TVs 4K, também chamados UHD (Ultra-HD). E os tamanhos irão variar entre 39 e 85 polegadas.

Alguém pode se perguntar para quê um TV de 39″ com os tais 8 milhões de pixels, se a justificativa para o desenvolvimento dessa tecnologia é justamente o fato das telas estarem crescendo de tamanho. Pois é, há mercado para tudo, devem supor os fabricantes. Mas, até por uma questão de custo, o grosso desses TVs que chegam ao mercado nos próximos meses está na faixa entre 50″ e 65″, representando 95% das estimativas.

A pesquisa mostra também que, pelo menos por enquanto, serão poucos os fabricantes capazes de fornecer painéis para TVs 4K em larga escala: dois coreanos, dois chineses e um japonês. Vejam na tabela abaixo:

samsung_marcas

A coluna à direta lista as empresas que compram os painéis para produzirem seus TVs. O grande desafio dos cinco fabricantes é reduzir o custo industrial dos painéis. Ao que se sabe, isso pode ser alcançado aumentando a eficiência de quatro componentes: as células que compõem os paineis IPS (In-Plane Switch), já usados em TVs convencionais; os circuitos integrados que regulam a saída do sinal de vídeo para o painel de cristal líquido; os painéis de luz traseira (backlight), responsáveis pela iluminação homogênea do LCD; e os circuitos de upscaling, que permitem converter uma imagem Full-HD (2K) para UHD (4K).

Para este último item, alguns fabricantes até já encontraram uma solução, embora precise ainda ser melhor testada: a conversão pode ser feita dentro do próprio painel, com um microchip embutido! Já o primeiro item – melhorar os painéis IPS, que entre outras coisas controlam o tempo de resposta e o ângulo de visão lateral – é bem mais complicado, e quem quiser saber por que pode dar uma olhada neste arquivo PDF, em inglês.

Para ver o relatório completo da NPD, basta clicar aqui. E, para ler na íntegra o teste que nossa equipe fez com o primeiro TV 4K lançado no Brasil (o LG de 84″), o link é este.

3 comentarios para TVs 4K: fabricantes aquecem os motores

  1. Rubens Alves 19/03/2013 at 2:06 am #

    > “a empresa de pesquisas estima que até o final de 2012 serão colocados
    > no mercado mundial cerca de 2,6 milhões de TVs 4K”…

    2012?… Ou seria 2013?…

  2. Orlando Barrozo 19/03/2013 at 11:30 am #

    Opa, desculpe. Claro, 2013. Agradeço mais uma vez. Abs.

  3. Patrícia 20/03/2013 at 6:06 am #

    Post interessante, Orlando. Melhorar o ângulo de visão dos painéis IPS é mesmo só uma parte do desafio (particularmente nem acho a “mais” importante), o artigo que você cita deu só para ter uma pequena idéia do problema e é de 2006(!), nem são considerados tempo de resposta, contraste (o ponto fraco dos LCDs), razão de retenção de voltagem (VHR – voltagem holding ratio, em tradução livre). Ah, se fosse fácil já teria sido feito;-).

Deixe uma resposta