Eletricidade: um choque cultural

19 de maio de 2014

Como se sabe, o Brasil é campeão mundial de incidência de raios. Mas não precisaria ser recordista também em acidentes originados pelo mau uso das redes elétricas, como acaba de divulgar a Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade). Como não existem dados oficiais (o que é mais uma obrigação não cumprida pelo governo, via Ministério de Minas e Energia), a Abracopel decidiu por conta própria montar uma base a partir de informações colhidas na imprensa e nas redes sociais. E concluiu: em 2013, aconteceram no país nada menos do que 1.038 acidentes envolvendo eletricidade, dos quais 592 foram fatais (média de quase duas mortes por dia)!!!

Houve ainda 173 pessoas acidentadas que ficaram com sequelas de choques elétricos. Mais: 234 casos de curto-circuito, sendo que 200 se transformaram em incêndios, e outros 39 acidentes por descarga atmosférica (raios). São, de fato, dados alarmantes. Mas não surpreendem. Combinam com as estatísticas sobre mortes no trânsito, acidentes de trabalho, agressões à natureza e uma série de outros itens em que os brasileiros ainda têm muito a aprender.

Para tentar reduzir esses números, um grupo de empresas e entidades criou o Programa Casa Segura, que busca orientar o público em geral sobre os riscos e os cuidados ao lidar com redes elétricas.

Numa época em que se usam cada vez mais aparelhos, é evidente que esses riscos aumentam. Portanto, vale a pena divulgar o programa, mesmo para quem pensa que está totalmente protegido. Este é o site oficial.

Deixe uma resposta