Automação, jogo de gente grande

28 de julho de 2014

Reportagem da revista Forbes, duas semanas atrás, apontava um fenômeno que nós aqui, modestamente, já havíamos comentado tempos atrás: o avanço das grandes empresas de tecnologia no setor de automação residencial. Como se tivessem combinado, Google, Apple e Samsung aumentaram este ano os investimentos no setor – e não é pouco dinheiro.

No início do ano, a Google pagou nada menos do que US$ 3,2 bilhões pela Nest, que tornou populares nos EUA os chamados “termostatos inteligentes”. Mais recentemente, a Apple apresentou seu HomeKit, um pacote de softwares para desenvolvedores que queiram utilizar os produtos da empresa em sistemas de automação. E agora a Samsung anuncia a compra, por US$ 200 milhões, da SmartThings, pequena empresa de Washington que vende kits básicos de automação por até 100 dólares.

As três gigantes enxergam potencial nas soluções de baixo custo para controlar a casa, algumas delas já disponíveis no Brasil. O caso da SmartThings é particularmente interessante. Em apenas dois anos, a empresa atraiu vários fundos de investimento, basicamente fazendo campanha pela internet.

O que há de comum nos três casos é a ideia de que todo mundo deseja ter em casa algum tipo de automação – variando apenas a disposição para investir. Produtos como os citados acima chamam a atenção pelo custo acessível e, como já comentamos aqui, podem ser uma porta de entrada para usuários sem contas bancárias tão gordas. Há, porém, quem se recuse até a classificar essas soluções como “automação”, partindo do princípio de que um sistema verdadeiro exige projeto, instalação adequada, proteção elétrica etc.

Vamos ver como as gigantes da tecnologia resolverão essas questões.

Deixe uma resposta