Abaixo a ignorância!

18 de maio de 2016

Diante do quadro político e econômico brasileiro atual, merecem reflexão algumas frases do presidente Barack Obama durante discurso que proferiu recentemente perante os formandos da Universidade Rutgers, nos EUA. Alguns sites comentaram, e o vídeo está na internet, mas a tradução foi truncada. A fala foi apresentada apenas como uma crítica ao candidato Donald Trump, mas no fundo Obama quis ir mais longe. Por isso, reproduzo aqui:

“Na política, como na vida, a ignorância não é uma virtude. Não é legal quando você não sabe o que está dizendo. Qualidades como bondade, compaixão, honestidade e capacidade de trabalho são mais importantes do que habilidades técnicas. Mas, quando nossos líderes expressam desprezo pelos fatos, e quando não são responsabilizados por repetirem mentiras e inventarem coisas, enquanto os verdadeiros especialistas são descartados como ‘elitistas’, isso é grave.”

“Quando uma pessoa fica doente, quer saber se o médico está mesmo preparado para cuidar da doença, se estudou e entende do assunto. Quem entra num avião quer saber se o piloto realmente sabe o que está fazendo. E, no entanto, em nossa vida, frequentemente dizemos que não queremos alguém com experiência, alguém que já exercido aquela atividade. Rejeitar os fatos e a razão é o caminho para a decadência.”

“Cuidado quando ouvirem alguém dizendo que tem saudades dos bons tempos. Na verdade, esses bons tempos nunca existiram. Na História do mundo, sempre houve dificuldades, e os momentos de bonança foram esporádicos. Podem acreditar que o mundo hoje é muito melhor do que 50 anos atrás.”

“O mundo é cada vez mais interconectado, e as mudanças acontecem numa velocidade cada vez maior. Construir muros não irá impedir isso. Os últimos vinte anos provaram que não iremos conseguir resolver nossos problemas com isolamento. A melhor maneira de melhorarmos é ajudando a melhorar a vida dos outros.”

“Compreendo as pessoas que se preocupam com a perda de empregos por causa da globalização. Mas a resposta a isso não é parar de negociar com os outros países, nem criar barreiras ao comércio. Devemos ajudar as outras nações a melhorarem seus salários e suas condições de trabalho, pois assim iremos melhorar também esses índices aqui nos EUA.”

“Fatos, evidências, racionalidade, lógica, bom entendimento da ciência, tudo isso é o que se deve procurar nos políticos e cultivar em nós mesmos como cidadãos. Os fundadores da América vinham do iluminismo, fugiam das superstições, do sectarismo, do tribalismo. Eles acreditavam no pensamento racional e na experimentação. Acreditavam na capacidade dos cidadãos bem informados de orientar seu próprio destino.”

“Hoje, temos num smartphone acesso a mais informação do que em toda a História da humanidade. E, ainda assim, isso nos torna mais confortáveis em nossa ignorância. Assumimos tudo que está na internet como verdadeiro. Buscamos sites e opiniões que apenas reforçam nossas predisposições. Mas vocês, jovens, precisam participar mais da política. As coisas não são melhores do que vocês gostariam porque vocês não votaram nos políticos que representem suas visões de mundo. Políticos adoram se eleger. E adoram mais ainda se reeleger. Mas as mudanças só acontecem se você participa. Se você cruzar os braços, eles vão fazer a política que quiserem.”

“Precisamos restaurar a ideia de que o trabalho duro vale a pena. Foi assim que nossos antepassados construíram a democracia. E não foi do dia para a noite. Isso custou muitos anos de debates e negociações. Na democracia, você defende o seu ponto de vista mas também tem que ouvir as opiniões contrárias. Se alguém discorda de você, chame-o para conversar e faça-lhe perguntas duras. Se suas opiniões forem ofensivas, confronte-as, não tenha medo de discutir. Use sua lógica e sua razão, e fazendo isso você estará fortalecendo sua própria posição. Talvez descubra alguma coisa que não havia percebido. Ou seja, de uma forma ou de outra você sai ganhando.”

2 Replies to “Abaixo a ignorância!”

  1. Marcus Barreto disse:

    ” Os fundadores da América vinham do ilusionismo” o certo não seria iluminismo?

  2. Orlando Barrozo disse:

    Claro, Marcus. Desculpe. Já corrigido. Obrigado.

Deixe uma resposta