TVs 8K chegam ao mercado em 2019

7 de setembro de 2018

Terminou mais uma edição da IFA, em Berlim (foto), e a maior atração foram os TVs 8K. Todos os grandes fabricantes exibiram, a maioria ainda na forma de protótipos, e prometeram lançá-los comercialmente a partir de 2019. Difícil afirmar neste momento se será no início ou no final do ano, e quais deles chegarão ao Brasil. Mas é certo que a indústria como um todo tem pressa.

Como mostramos nesta reportagem, o padrão 8K mobiliza as principais marcas: Samsung, LG e TCL, hoje as três mais vendidas no mundo, seguidas por Sony, Panasonic, Philips, HiSense, Sharp e Vizio (esta presente somente na América do Norte). A se confirmarem os planos, teremos uma verdadeira invasão de TVs com a resolução 8K, que produz quatro vezes mais pixels que nos atuais TVs 4K. 

Voltamos assim à velha questão: para quê um TV 8K se não há – nem haverá nos próximos 12 meses – conteúdos desse tipo para se assistir? Como já aconteceu no lançamento do 4K, cinco ou seis anos atrás, essa transição não será rápida. Na época, também não havia o que assistir e se trabalhava com a expectativa de que as emissoras bancassem transmissões no padrão UHD – o que acabou se revelando inviável. Mesmo assim, os TVs desse tipo embalaram com base no desejo do consumidor por telas maiores. 

Hoje, pode-se assistir a filmes e séries do Now ou Netflix em 4K; ou então usar o recurso de upconversion para ver a programação normal dos canais em 4K, embora o sinal original venha em HD. O mesmo acontecerá a partir do ano que vem: os TVs 8K converterão “para cima” as imagens 4K. 

Tão ou mais importante é que esses novos TVs já chegarão preparados para o que a indústria batizou de AI, sigla em inglês para Artificial Intelligence. Há a expectativa de que o consumidor seja atraído pelos assistentes de voz, que virão embutidos nos TVs, e pela possibilidade de controlar vários outros aparelhos da casa na própria tela dos TVs. 

Como vimos semana passada na SET Expo, realizada em São Paulo, é com esse cenário que trabalham as emissoras, operadoras, provedores de internet e, claro, fabricantes de equipamentos (aqui, alguns detalhes). O que foi mostrado em Berlim foi apenas uma pré-estreia.

Deixe uma resposta