Chegou o primeiro TV 8K. Para quê?

4 de outubro de 2018

Enquanto alguns ainda estão se acostumando às imagens em resolução 4K, outros já podem encomendar um TV 8K. Antes do que se imaginava (a previsão era final do ano), a loja virtual global da Samsung está anunciando a pré-venda do modelo Q900 (foto), de 85″, com painel de pontos quânticos (QLED). O preço é US$ 15.000.

Curiosamente, ainda ontem comentávamos aqui a visão de alguns especialistas internacionais de que a Samsung estaria ficando para trás no segmento de TVs Premium, superada pela incrível qualidade dos modelos OLED da LG e da Sony. Quem pensava assim talvez agora tenha de rever seus conceitos. Na IFA, em setembro, vários fabricantes apresentaram protótipos 8K (veja quais). Mas a Samsung, talvez até para desfazer aquela suspeita, decidiu surpreender os concorrentes com o anúncio em seu site oficial.

Quando divulgamos a notícia em primeira mão na tarde desta quinta-feira, poucos sites internacionais haviam registrado o lançamento. Menos de uma hora depois, já víamos a repercussão, com alguns decretando “esqueça seu TV 4K” (como este inglês) e outros comparando o preço ao valor de um carro! Na cobertura da IFA, vários experts criticaram a chegada do padrão 8K, que na verdade ainda nem foi oficializado, quando o mundo inteiro se adapta ao 4K. Tratamos disso neste post

Volta-se a lembrar a questão da falta de conteúdos em 8K, o que teoricamente tornaria inútil um aparelho como o Q900. Mas leitores mais atentos devem guardar ainda na memória que no final de 2013, quando saiu o primeiro modelo 4K, também não havia o que assistir nele. Lembro que, na época, a LG trouxe da Coreia alguns exemplares – e vendeu todos em questão de dias! Ainda hoje é difícil encontrar conteúdos em 4K, mas é perfeitamente possível com esses TVs melhorar (via upscaling) a qualidade da imagem exibida pelas emissoras. E esse é o pulo do gato, que pode justificar o investimento. O novo TV 8K também oferece essa possibilidade.

Comentaremos mais adiante sobre os recursos do novo brinquedinho da Samsung (quem estiver ansioso pode acessar o site global da empresa). A esta altura, a loja virtual já deve ter registrado dezenas de pedidos. Em tempo: no Brasil, ainda não há prazo para o lançamento.

3 Replies to “Chegou o primeiro TV 8K. Para quê?”

  1. Jarede disse:

    Numa conta rápida, você multiplica o tamanho da tv, em polegadas, por 5 e teremos o resultado em cm de distância para assistir confortavelmente uma TV full hd. Exemplo: tv de 32″ x 5 = 160 cm. Um monitor de computador full hd, já deixa a desejar, por usarmos na mesma distância das polegadas da tela. Exemplo: um monitor de 32″ fica confortavel, visualisado a 80 cm de distancia. Aí sim, precisaremos de uma tela 4k de 32″ que dobrará a resoluçāo de 70 para 140 PPi. Não vejo no momento, argumento algum para adiquirir uma tela 8k! O olho humano, com visão 20/20, precisa de 300 PPI @ 300 mm de distância. Sendo assim, para um monitor de 32″, teremos: 300 : 800(mm) = 0,375 x 300 = 112 PPI, ou seja, dá e sobra. No caso do uso para TV 32″ full hd, teremos: 300 : 1600 = 0,1875 x 300 = 56 PPI. Abraço a todos!

  2. Rubens disse:

    Jarede, voce está desconsiderando que quando voce aumenta a resolucao, a distancia para se assistir ao televisor DIMINUI… Voce disse que um televisor full-HD de 32″ deve ser assistido a cerca de 1.60m de distancia… So que se o televisor for 4K, a essa mesma distancia de 1.60m voce ja precisa que a tela do televisor aumente para 55″…

    Eu tenho televisores 4K e sei disso, percebo isso claramente aqui em casa. Uma tela 4K de 55″ é para assistir no maximo a 2m de distancia… Entre 2 a 3 metros, ja torna-se necessario uma tela de 65″. Caso contrario, voce nao vai aproveitar e nao perceber mesmo a diferença para uma full-HD.

    Uma TV com resolucao 8K terá que ser assistida mais de perto ainda.

  3. Jarede disse:

    Olá, Rubens!
    Sim, você está certo: resolução vs distância são inversamente proporcionais.
    Mas, há vários fatores que podem ajudar a determinar a melhor distância para assistir uma TV, mesmo sendo uma tela de altíssima resolução:
    1- Conforto: A maioria das pessoas, não gostam de um angulo horizontal maior que 30 graus. Não adianta ter uma TV 8k de 100″ e ter que assistir à uma distância de 1,25m da tela para aproveitar a resolução. Algumas pessoas com certeza vão ter até náuseas.
    2- Tipo do uso: É claro, que os gamers se sentam muito próximos da tela para jogar, mas se afastam dela quando vão assistir um filme.
    3- Ponto cego: Sim, todos temos um ponto cego no olho direito e no esquerdo e ele só ficará fora da tela com uma abertura inferior a 24 graus. Na média, numa tela de 32″ é bom ficar acima de 1,5m.
    4- Distribuição dos acentos: Para que todos assistam de um ângulo confortável. Na minha opinião, isso é impossível a menos que o uso da TV for para apenas uma pessoa (monousuário).
    5- Conteúdo: Hoje, infelizmente, não temos muito acesso aos conteúdos “verdadeiramente” 4k. Imaginem 8k!
    6- Custo: Preços dos aparelhos, players, planos de streaming, de banda larga…
    Enfim, vou deixar um link, que poderá ajudar bastante os aficionados:
    https://www.rtings.com/tv/reviews/by-size/size-to-distance-relationship
    Abraço!

Deixe uma resposta