Facebook pode consertar configurações, não a estupidez

Por Jared Newman

O Facebook merece toda a culpa pela bagunça que fez com suas configurações de privacidade, mas nem todas as correções do mundo impedirão as pessoas de comprometer a si mesmas na internet.

Houve uma mudança interessante desde que começou o fiasco da privacidade no Facebook: a discussão migrou das recentes mudanças na privacidade do Facebook – permitindo que sites selecionados contem a seus amigos o que você tem feito nesses mesmos sites – e agora se concentra em mudanças que foram implantadas há quase seis meses.

Parece que, de repente, os usuários se aborreceram com o fato de que o Facebook quer compartilhar atualizações de status e listas de amigos com o mundo. Por padrão, os novos perfis de usuários do Facebook são configurados para ‘todo mundo’ (everyone), tornando suas vidas na internet um livro aberto.

Bem, visite o Openbook, o site que mostra o quanto as pessoas se expõem no Facebook. A PCWorld já escreveu sobre este site, destacando o excesso de informação que os usuários pensar ter mantido em caráter privado.

A National Public Radio dos EUA adota uma abordagem diferente. A emissora busca atualizaçoes de status que fazem referência a novos números de celular e ligando para as pessoas que, sem querer, divulgaram seus números.

Autofiltragem
O Openbook supostamente joga uma luz no efeito das mudanças de privacidade do Facebook, mas tudo que ele realmente faz é mostrar como as pessoas não podem filtrar a si mesmas.

Não há dúvidas de que o Facebook levou o problema ao extremo, jogando as pessoas rumo ao compartilhamento público de informação, mas este é um problema que existia antes mesmo de 9 de dezembro, quando o Facebook introduziu mudanças drásticas em seus controles de privacidade.

Em 2008 entrou no ar um site chamado Lamebook, que rastreia o que há de hilário e estúpido no Facebook. Listas bem humoradas de exposições pessoais no Facebook detonaram com as mudanças realizadas seis meses atrás. Mesmo se as informações forem mantidas dentro de círculo social dos usuários, elas ainda poderão ser vasculhadas – com consequências diretas para as pessoas da vida real.

Nesta quarta-feira (26/5), o Facebook introduziu algumas mudanças de privacidade, dando às pessoas um meio mais fácil de controlar que informação em seus perfis serão visíveis ao resto do mundo.

As mudanças podem não responder às reclamações sobre a necessidade de ter de optar por sair (opt out) nas futuras mudanças de privacidade da rede social. Elas também podem não oferecer o nível de profundidade que as pessoas mais engajadas em privacidade realmente gostariam.

Mas uma coisa que essas mudanças definitivamente não farão é tornar as pessoas mais inteligentes sobre o que elas querem tornar público na web.

Artigo publicado na PC World em 26/05/2010

Deixe uma resposta