Mercado de streaming é a bola da vez

7 de maio de 2020

O fato de milhões de pessoas estarem passando mais tempo em casa, aliado às facilidades tecnológicas para se montar uma plataforma de streaming, deve provocar uma revolução na forma como os brasileiros assistem TV. Na verdade, já está provocando. De um ano para cá, praticamente dobrou a oferta de serviços de vídeo por demanda, dos mais variados gêneros, tentando roubar uma migalha da audiência gigantesca do Netflix e do YouTube.

Estamos falando dos chamados “agregadores de vídeo”, serviços que competem diretamente com as operadoras de TV paga, no sentido de que oferecem cardápios variados de conteúdos (ou canais) para que o usuário acesse no horário mais conveniente. E também dos derivados de canais pagos, como TelecinePlay, HBO GO, Fox Play etc. É a porteira aberta há cerca de dez anos pelo Netflix, que se estabeleceu no Brasil em 2013 e nunca parou de crescer. A chegada primeiro do Amazon Prime, depois GloboPlay e mais recentemente Apple TV+ só veio confirmar que esse é um mercado gigante.

Aguarda-se para o segundo semestre a entrada no Brasil do Disney+, que talvez seja retardada pela COVID-19. Mas, só com o que já existe hoje, o consumidor já pode se divertir bastante. O mais recente player nesse jogo é o UOL Play, um típico agregador, ou seja, não produz conteúdo próprio mas sai em busca de fornecedores de peso (a chamada curadoria de conteúdo). Em seu menu, o usuário encontra conteúdos dos canais Fox, Paramount, Sony, NatGeo e ESPN, entre outros.

Para quem gosta de filmes cult e de arte, uma opção que parece interessante é o Mubi.com, com vasta oferta de cinema europeu e de outras regiões. Cult-movies também podem ser encontrados no NetMovies.com, em meio a séries, documentários, desenhos animados, shows musicais, clássicos em preto & branco e até teatro filmado. Fãs de terror devem se deliciar com o Macabra.TV, totalmente dedicado ao gênero, enquanto o Oldflix capricha nas produções antigas, algumas muito antigas. 

Continuamos vasculhando. Há até serviços gratuitos, como o da SPCinePlay, mantido pela Prefeitura de São Paulo, com ampla oferta de produções nacionais. Na seção HT-Streaming do hometheater.com.br, apresentamos semanalmente seleções de séries comentadas pelo especialista Paulo Gustavo Pereira, sempre de olho nos principais serviços. Em breve, pode ser que você encontre lá sugestões dos citados acima. É questão de tempo. 

Um comentario para “Mercado de streaming é a bola da vez”

  1. […] aqui para ver resenhas das melhores séries no streaming Mercado de streaming cresce com isolamento social Polícia aperta o cerco sobre pirataria de sinal de TV  HOME THEATER estende liberação de […]

Deixe uma resposta