3D: o mercado existe!

31 de outubro de 2012

Estatística divulgada semana passada nos EUA pela Nielsen revela um dado interessante: com o aumento – ainda que em baixa velocidade – nas vendas de TVs 3D, começa a crescer também a procura por filmes nesse formato. A nova safra de filmes lançada por lá, que inclui sucessos do cinema este ano como Os Vingadores e Prometheus, está ajudando a impulsionar esse segmento. No primeiro caso, somente em uma semana após o lançamento, 23% dos discos vendidos eram 3D; no caso de Prometheus, 25%. A caixa de luxo deste último, contendo as versões em DVD, Blu-ray e Blu-ray 3D, além da cópia em arquivo digital, foi responsável por 26% de tudo que o filme faturou até agora em vídeo, segundo a distribuidora Fox.

Mais: filmes antigos (hoje em dia, qualquer filme de um ano atrás já é considerado “antigo”) também se beneficiam da tendência. A versão 3D de Titanic, por exemplo, que chegou às lojas dos EUA em setembro, somou vendas que correspondem a 29% do total. É importante lembrar que lá, ao contrário daqui, os preços caem conforme as vendas aumentam. Os Vingadores 3D, por exemplo, é vendido na Amazon por 25 dólares, quando aqui não sai por menos de 90 reais.

Já as vendas de TVs 3D vão subindo lentamente, mas vão. Segundo a NPD DisplaySearch, cresceram 14,2% no último trimestre de 2011, e agora, no período julho-setembro de 2012, aumentaram 23,5%. Ainda são números bem abaixo do que esperava a indústria quando do lançamento dos primeiros modelos, em 2010. Mas o mercado como um todo acha que em breve a diferença de preço entre um TV 3D e um convencional será tão pequena que o consumidor, inclusive aqui no Brasil, nem precisará pensar muito para escolher o primeiro.

Já quanto ao preço dos filmes… bem, essa é uma outra – e bem mais complicada – história.

3 Replies to “3D: o mercado existe!”

  1. Paulo disse:

    Aí é que está o problema, Orlando. Eu pretendo comprar um TV 3D em 2013, mas os preços deles são um tanto abusivos e isto desmotiva muito a aquisição. Eu gostaria de entender se há algum motivo plausível para estes discos serem tão caros aqui se a tecnologia é a mesma dos EUA.

    Ou será mesmo a regra de ambição brasileira, conhecida em praticamente todas as áreas de consumo (especialmente carros)?

    Abs!
    Paulo

  2. Orlando Barrozo disse:

    Olá Paulo. É a regra que vale para tudo no Brasil, não apenas carros: discos, brinquedos, roupas, perfumes. Uma corrida de taxi é três vezes mais cara em SP do que em Nova York; Veja meu comentário de hoje a respeito. Abs. Orlando

  3. WALTER CARNEIRO disse:

    É por causa dos preços super abusivos aqui no Brasil que a quase totalidade da minha coleção de Blu-rays (95%) foi adquirida inteiramente nas amazon.com, amazon.ca, amazon.co.uk, amazon.fr, incluindo aí todos os meus 15 BDs no formato 3D. Agora estou só esperando o “HUGO 3D” abaixar de preço na amazon.com para encomendar um, porque o daqui não abaixa de preço NUNCA! Nem a minha tão sonhada 65VT50b conseguiu ainda ter um preço que eu considero civilizado para comprar uma, mas vou esperar o tempo que for necessário…

Deixe uma resposta