Memórias parecem não ter limite

Enquanto no Japão anuncia-se um disco óptico com capacidade de até 1 Terabyte (chama-se Archival Disc), por aqui já estamos na casa de 3TB. Calma, estamos falando de coisas diferentes. Discos ópticos, como CDs, DVDs e Blu-rays, são feitos para leitura a laser, com muito maior sensibilidade e detalhamento do sinal. Os 3TB a que me refiro são os dos discos rígidos (hard-disc drives, ou simplesmente HDDs). No momento em que escrevo, essa é a máxima capacidade de memória desses dispositivos portáteis, que podem ser adquiridos em qualquer loja (existem modelos maiores, não portáteis).

Assim como falamos ontem dos pen-drives, que são dispositivos para uso ultraportátil (diria até “semidescartáveis”), os HDDs merecem atenção porque estão se tornando a cada dia mais necessários, dada a enorme quantidade de arquivos que as pessoas inventam de criar e copiar. Com os laptops aos poucos roubando o lugar que era dos computadores de mesa, é natural que os usuários queiram poupar seus HDs internos. Aumentar a memória de um notebook é tão caro e trabalhoso que, na maioria dos casos, não vale a pena. Por isso, os HDDs acabam sendo a companhia ideal para quem precisa de portabilidade.

canvio-3-20121A filial brasileira da T.A.I.S. (Toshiba America Information Systems), por exemplo, está lançado o Canvio Basics 3.0, HD externo que vem concorrer com marcas como Samsung, Iomega, LaCie, Seagate, WD e outras. O “3.0” refere-se ao conector USB mais veloz e, segundo o fabricante, o aparelho possui um sensor interno antichoque para proteger os dados em caso de acidente. A versão de maior capacidade tem memória de 2TB, mas há ainda as de 1,5TB, 1TB e 500GB; nesta, ainda de acordo com a Toshiba, cabem 142 mil fotos, 131 mil músicas e 410 vídeos (não estão especificados a duração nem os formatos de gravação desses arquivos).

Fica então a dica. Até quando a memória acabar…

No comments yet.

Deixe uma resposta