Semelhanças e coincidências

24 de novembro de 2012

Cada vez mais me convenço de que tudo foi muito bem planejado, até ensaiado. As ordens vêm “lá de cima”, e aos botocudos aqui em baixo cabe simplesmente cumpri-las. Questionar, no caso, não é uma opção. Até porque grande parte dos botocudos está sendo remunerada (alguns muito bem) para cumprir o que lhes é determinado. Basta ler com atenção certos textos que circulam na mídia, especialmente nos blogs e nas redes sociais, para encontrar semelhanças que são bem mais do que meras coincidências. Às ordens:

1) Jamais tocar no assunto Mensalão, a menos quando provocado; e, nesse caso, jamais usar o termo “Mensalão”, mas sim, quando não houver outro jeito, “Ação Penal 470”.

2) Sempre desqualificar o interlocutor que critica os mensaleiros ou aprova as penas aplicadas pelo STF. Sugestões: chamá-lo de “tucano enrustido”, “direitista”, “membro da imprensa golpista”, “neoliberal” e sinônimos.

3) Lembrar sempre do “Mensalão de Minas”, questionando por que o STF não tem a mesma atitude nesse caso.

4) Sempre que for citada a figura do ex-presidente Lula, lembrar que FHC promoveu a compra de votos para garantir sua reeleição em 1998.

5) Desqualificar a Justiça brasileira por sua lentidão e ineficiência, reafirmando que no Brasil os ricos nunca vão para a cadeia.

6) Insistir que no Brasil todos os partidos políticos roubam, têm caixa 2 e permanecem imunes à Justiça.

7) Lembrar que o povo já “absolveu” o PT ao reeleger Lula em 2006, e eleger Dilma em 2010 e Haddad em 2012.

8) Relembrar os altos índices de popularidade de Lula e Dilma.

9) Não deixar de mencionar que o processo contra Dirceu, Genoíno e Delubio foi totalmente político e influenciado pela “mídia golpista”, tanto assim que as punições foram exageradas, contra todas as tradições do STF.

10) Ressaltar que, com exceção de Lewandowski e Tóffoli, todos os ministros do STF se deixaram levar pelo clima de “linchamento político”.

11) Recordar a importância histórica de Dirceu e Genoíno na luta contra a ditadura; e que, portanto, eles não merecem ser tratados dessa forma.

12) Criticar a imprensa em geral, e em particular Veja, Folha e Globo, incluindo repórteres e colunistas, como “vendidos”.

13) Indicar e compartilhar links sobre o livro “A Privataria Tucana” e artigos de jornalistas “independentes”, como Luis Nassif e Paulo Henrique Amorim.

O velho Roberto Marinho dizia que gostava de trabalhar com comunistas porque “eles são muito obedientes”. Pois é, os “comunistas” de hoje se escondem em blogs que surgiram do nada, alguns até com patrocínio de empresas estatais. E você pode muito bem encontrá-los entre seus “amigos” ou “seguidores”. É só prestar atenção.

Ou será que estou ficando neurótico?

Um comentario para “Semelhanças e coincidências”

  1. LCdeAssis disse:

    Se você está ficando neurótico, eu também estou. Essas “coincidências” são detectáveis em muitos blogs, participantes do Facebook, Google+, grupos de discussão.

Deixe uma resposta