A Copa, vista em diferentes telas

13 de julho de 2018

Meu colega jornalista Norbert Hildebrand, que escreve para o site americano Display Daily e também é consultor na área, fez um bom trabalho de campo durante a Copa do Mundo. De férias na Alemanha, onde nasceu, ele teve a oportunidade de ver algo que é raro nos EUA: grupos de pessoas se aglomerando em frente a uma tela para ver os jogos ao vivo. 

Passando por várias cidades, Hildebrand se deparou com telões instalados em praças públicas, bares, restaurantes, parques, galerias de shopping-centers. Foram usados TVs comuns (LED-LCD), projetores frontais (inclusive com luz do sol batendo na tela), retroprojeção, displays de LED gigantes… cada local, diz ele, improvisou da melhor forma possível para mostrar principalmente os jogos da Alemanha – que, como se sabe, voltou logo para casa. Sua descrição, ilustrada por fotos que ele mesmo tirou, pode ser vista neste link

Achei interessante compartilhar aqui algumas de suas observações sobre cada tipo de display. Acompanhem:

TVs LCD – “Solução mais barata: levar um TV de uso indoor para fora da casa e deixar o nível de brilho no máximo. Num recinto do tipo sports bar, até dá para quebrar o galho, a uma distância de até 15m para um TV de 70 polegadas. Quando não há luz externa entrando no ambiente, o resultado nem é tão ruim. Mas vi lugares onde os raios de sol atingiam diretamente a área da tela, ou eram refletidos sobre ela, a tal ponto que os espectadores não conseguiam saber o que estava acontecendo no jogo.

Projetores frontais – “Usaram muitos modelos de uso doméstico para ver a Copa; não vi nenhum projetor high-end. Eram de alto brilho (para home theater), com telas brancas neutras, sem ganho. A maioria tinha mais de 70 polegadas, mas os ambientes eram maiores e, portanto, as pessoas ficavam mais longe da tela. Resultado: imagens lavadas ou, quando entrava um pouquinho de luz, imagem nenhuma. Curioso que ninguém utilizou projetor de curta distância ou retroprojeção, que poderiam amenizar esse problema. Mas é fácil de entender: o custo de instalação e ajuste é razoável, e quando a Copa acabar provavelmente o dono do bar irá levar o equipamento para casa. Na maioria dos casos, só faltou estar escrito DIY (‘faça-você-mesmo’) sobre o equipamento!

Displays de LED – “Num shopping que visitei, montaram uma pequena arquibancada para ver os jogos numa tela gigante que podia ser apreciada até a 20m de distância. Olhando de perto, os pixels ressaltavam. Foi colocado um toldo sobre a tela para evitar a incidência do sol, mas de qualquer modo o brilho era muito intenso. Em ângulo lateral (aproximadamente 80°), foi possível observar algumas linhas artificiais, mas ninguém assiste futebol dessa forma, ou seja, acabou sendo a melhor imagem que vi durante a viagem.

“Em resumo, se o preço dos displays de LED cair pode ser um grande negócio para eventos como esse, talvez no segmento de rental. Sim, porque o dono do espaço terá de pensar sobre o que fazer depois do evento!

“De minha parte, fiquei satisfeito de assistir à Copa dessa forma. A próxima, pretendo ver em casa mesmo, talvez com um desses LED walls. Tenho quatro anos para ir juntando o dinheiro”. 

Deixe uma resposta