COVID acelera o mercado de games

8 de novembro de 2020

Entre os diversos efeitos da pandemia sobre a economia mundial, um que merece destaque é o aumento da demanda por videogames. O setor havia sofrido retração em 2019 devido à expectativa pelo lançamento da nova geração de consoles, que acabou não acontecendo. Com as pessoas confinadas em casa, grande parte do usuários não deve ter resistido à tentação. E mesmo sem os novos Xbox (foto) e PlayStation, que saem este mês em vários países (inclusive Brasil), cresceu expressivamente o consumo de jogos.

Os dados são da consultoria americana ABI Research: as vendas até o final do ano ficarão na casa de 40 milhões de unidades em todo o mundo, um crescimento de 6% sobre o ano passado, o que é considerado excelente tendo em vista a queda no consumo por causa da COVID. O número de encomendas dos novos consoles faz prever que, em muitos países, Black Friday e Natal registrarão recordes no segmento. 

A ABI lembra em seu relatório que o aumento estava previsto já para o primeiro trimestre, quando em fevereiro os fornecedores chineses de componentes interromperam a produção. Na sequência, quebrou-se a cadeia de distribuição e os fabricantes ficaram várias semanas sem despachar produtos a seus distribuidores e revendas. Os dois consoles deveriam ter sido lançados entre maio e junho, mas foram adiados. 

O XBox Series X já está à venda em algumas lojas online, enquanto o PS5 chega no dia 19. Ambos são compatíveis com jogos em resolução 4K, que devem se tornar mais comuns a partir de agora. O console da Microsoft tem a vantagem do áudio em Dolby Digital 5.1 e TrueHD, permitindo processamento em Dolby Atmos caso seja ligado a um receiver ou soundbar dessa categoria.

 

Deixe uma resposta