Orlandobarrozo.blog.br

Tecnologia para tudo (e para todos)

Normas técnicas: por que isso é importante

20 de agosto de 2021

 

 

Em boa hora, a AVIXA está republicando uma série de Normas Técnicas para concepção e execução de projetos de áudio, vídeo e controle. Infelizmente, a maioria dos profissionais brasileiros não dá importância a esse tipo de trabalho, ao contrário de países como EUA, Inglaterra e Alemanha, onde a obediência às normas é de lei. Além de garantir a qualidade final de um projeto, as Normas facilitam a vida dos profissionais envolvidos e podem funcionar até como uma espécie de “seguro” contra eventuais problemas na obra. Nos países citados, as indenizações por não cumprimento das normas são altíssimas.

Embora foquem mais no segmento corporativo, algumas das normas criadas pela AVIXA se aplicam também a projetos residenciais. São dez normas, tratando de temas como tamanho de tela e posições de visualização; preparação de plantas arquitetônicas em projetos de A/V & Controle; uniformidade na cobertura de áudio em espaços de audição; medição de contraste em imagens projetadas; monitoramento e gerenciamento de energia em sistemas audiovisuais; e montagem de racks para equipamentos AV, entre outros.

Essas normas não têm, claro, força de lei. Mas são das poucas referências existentes para quem executa (e também para quem contrata) um projeto. O acesso é gratuito para filiados da entidade.

Como muitos integradores, projetistas e revendedores acompanham o blog, aqui vai o link para os detalhes das Normas AVIXA.

2 Replies to “Normas técnicas: por que isso é importante”

  1. Vinicius A. Barbosa Lima disse:

    A AVIXA precisa se aproximar e demandar à ABNT a adequação e incorporação dessas normas ao portfólio técnico brasileiro. A partir daí serão de aplicação compulsória, sob risco de afronta à Lei Federal nº 8.078, que em seu Art. 39, Inc. VIII, considera prática abusiva “colocar, no mercado de consumo, qualquer produto ou serviço em desacordo com as normas expedidas pelos órgãos oficiais competentes ou, se normas específicas não existirem, pela Associação Brasileira de Normas Técnicas ou outra entidade credenciada pelo Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro)”.
    Resolveria tudo? Não, mas garantiria ao cliente o mínimo respaldo legal no caso de eventuais problemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *