Mercado de TVs 4K cresce, mas…

Em seu tradicional estudo sobre o mercado mundial de TVs, a consultoria britânica IHS indica que o segmento Ultra HD (4K) vai continuar crescendo, mas com algumas ressalvas. A previsão é saltar de 55 milhões de unidades vendidas este ano para 112 milhões em 2020, quando 100% dos modelos acima de 50″ serão 4K. Só que isso acontecerá às custas da queda de preços, resultando em faturamento menor para os fabricantes.

Claro, o consumidor não tem nada a ver com isso. Mas é com esse tipo de previsão que as indústrias planejam seus negócios. Exemplo: a pesquisa TV Sets Market Tracker, da IHS, diz que grande parte dos TVs 4K não será compatível com a codificação HDR, principal avanço tecnológico dos últimos anos. Como já comentamos aqui, somente os modelos top de linha conseguem reproduzir esse tipo de sinal, que é encontrado ainda em poucas gravações do Netflix. Algumas séries da Globo também são gravadas em HDR, mas o aplicativo Globo Play ainda não está plenamente desenvolvido.

Paul Gagnon, diretor da IHS, acha que falta muito para que o consumidor perceba os reais benefícios do HDR; no Brasil, podemos dizer que mesmo o 4K ainda não foi assimilado. Os próprios fabricantes parecem confusos ao divulgar esses avanços. Devido à diferença de custos de fabricação, criaram categorias diferentes de TVs 4K (com e sem HDR), nem sempre deixando isso claro para os usuários. Agora, se fala até em dois tipos diferentes de HDR!!!

Como explicar tudo isso na prática?

No comments yet.

Deixe uma resposta