Se é de graça, desconfie

4 de fevereiro de 2019

Recomendo a todos assistirem à entrevista do prof. Silvio Meira, um dos maiores especialistas brasileiros em tecnologia, no Roda Viva de duas semanas atrás. Venho acompanhando seu trabalho há vários anos, principalmente a partir do sucesso do C.E.S.A.R. (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), fundado em 1996, mas que decolou mesmo quando o falecido Eduardo Campos assumiu o governo de Pernambuco com a ideia de modernizar o estado. 

São vários os ensinamentos contidos na entrevista (o link é este). Entre outros, faz lembrar, e nunca é demais, que os problemas do mundo atual e os do Brasil em particular não são causados pela tecnologia mas, sim, pelos seres humanos que a utilizam. Um dos entrevistadores pergunta, por exemplo, se é possível escapar da “ditadura” das redes sociais, e a resposta é cristalina: “Mudam as plataformas, mas as pessoas continuam com as mesmas necessidades. Na Antiguidade, muitos não aceitavam a escrita, vista como ameaça à interação humana. Antes, você precisava de um cartão de visitas para procurar emprego; hoje, existe o Linked In”.

Essa discussão remete ao fato de muitos acharem que tudo na internet deve vir de graça. Aqui mesmo neste humilde blog, um leitor tempos atrás questionou o link para um artigo do hometheater.com.br. Problema: o artigo está na área fechada do site, restrita a assinantes. O leitor achou que não valia a pena pagar “apenas para ler um artigo”. Pior foi outro, que – na maior cara de pau – pediu que o link lhe fosse liberado gratuitamente, talvez como “cortesia”.

Como disse o prof. Meira, ninguém é obrigado a usar a internet, muito menos as redes sociais, ou mesmo o celular. É legítima a opção de se isolar do mundo. Agora, acrescento eu, pensando bem, nem isso é de graça!

7 Replies to “Se é de graça, desconfie”

  1. Elias - Mundo DIgital disse:

    Orlando, essa matéria foi SENSACIONALl!!!

    Concordo vorazmente em que as pessoas NÃO sabem usar as redes sociais, internet e a tecnologia como um todo, pois a maioria são ANALFABETOS DIGITAIS E IGNORANTES ALÉM DE SEREM ANALFABETOS FUNCIONAIS TAMBÉM (doa a quem doer, verdade seja dita) e não apenas isso, mas toda uma cultura e contexto em torno desses e outros inúmeros assuntos que compõe a evolução humana e a construção de uma sociedade justa rumo ao progresso e a igualdade.

    Eu particularmente me encaixo em perfeita harmonia sobre a questão das pessoas TEREM o direito de não se sentirem obrigadas a usarem a internet ou mesmo ter um celular, eu por exemplo, ou qualquer outra tenologia (apesar que existem situações que realmente, não tem por onde fugir) NÃO uso o WhatsApp, uso apenas o Telegram por causa de acompanhamento de conteúdos e informações técnicas e aprendizados de uma conceituada empresa, e tenho sorte, pois quase ninguém me chama no Telegram.

    Eu não ´´gosto´´ do whatsapp, porque é muita encheção de saco e perturbação com mensagens toscas, de fotos, figuras, texto fúteis, mensagens de ´´bom dia´´ boa tarde boa noite, bom final de semana´´ e todos esses conteúdos lixos que as pessoas desocupadas costumam ficar disparando várias vezes ao dia sobre diversos assuntos IMPRODUTIVOS E TOSCOS, e etc, por essa razão, eu desinstalei o whatsapp, e quando eu menciono isso para as pessoas, 98,76% me veem como um ALIENÍGENA, homem das cavernas, um louco, um atrasado tecnológico e social entre outras definições

    A maioria das pessoas, não sabem usar o whatsapp ou qualquer outra tecnologia a seu favor, o whats em si é uma boa ferramenta, mas ainda está muito longe de ser excelente, pois ao contrário do que dizem, o whatsapp NÃO chega ser tudo isso, ajuda muito, mas não é a última garrafa de água gelada no deserto (reconheçam e aceitem isso que dói menos), pois a popularidade da ferramenta, faz ela parecer muito mais do que realmente é, mas a ´´modinha´´´no momento é o Whatsapp e Facebook, mentes limitadas e manipuladas fica sem evolução, fazer oque não é mesmo ??

    Sou visto como um esteriótipo, um louco, como pessoa sem evolução, pelo fato de tentar sobreviver trabalhando com tecnologia em um país onde a maioria são ignorantes, desrespeitosos, espertinhos, desentendidos do assunto (e isso vale para clientes residenciais e corporativos também, afirmo isso baseados em fatos durante anos e inclusive nos últimos 28 dias com cliente residencial e corporativos onde esse por último compra TUDO DIRETO DO FABRICANTE, ATROPELANDO REVENDAS E INTEGRADORES EM GERAL PAGANDO APENAS PELO SERVIÇO, ESSE TIPO DE CLIENTE ME FAZ MAL FINANCEIRAMENTE E DISPENSEI O MESMO, além da sociedade em geral).

    E sobre as pessoas pedirem coisas de graças ou acharem muito caros (nesse caso clientes), ou ficarem ´´assustados com valores cobrados por produtos e/ou serviços, é a mais pura falta de respeito com os profissionais e empresas em si, falta de noção, sensatez, educação e o ingrediente final, – EXCESSO DE ESPERTEZA – É por isso, que esse país por mais belo, maravilhoso, grande, primoroso, produtivo NÃO IRÁ PARA FRENTE tão cedo, com pessoas mesquinhas, (independente da classe social e financeira, mas sim da sua mentalidade LIMITANTE E AO MESMO TEMPO ATROFIADA E EGOÍSTA), enquanto não evoluírem mentalmente, espiritualmente e socialmente, JAMAIS SEREMOS UMA GRANDE NAÇÃO!!

    Talvez algum dia, eu reinstale o Whatsapp, por pura questão profissional, pois se começarem a me perturbarem novamente, eu simplesmente bloqueio, seja quem for tanto pessoal como profissional, precisa impor disciplina, rigidez e ordem, somente assim as coisas seguem o rumo que deverão seguir.

    Abraço a todos.

  2. Jarede disse:

    Não me peça para dar de graça a única coisa que tenho para vender! Cacilda Becker.

  3. Rubens Pires disse:

    Vale também:”jamais peça para uma pessoa fazer de graça aquilo que ela faz para viver”.Como médico,sinto na pele as “consultas grátis” que me solicitam a toda hora com a justificativa do “pude me tirar uma dúvida?…

  4. Rubens disse:

    Eu acho essa questao tao simples: quem vende nao tem nenhuma obrigacao de vender de graça, OBVIO! Mas, por outro lado, quem compra tambem nao tem a menor obrigacao de pagar o que é pedido… Paga se quiser e achar que existe um custo/beneficio. Se uma pessoa nao quer pagar para ler apenas um artigo, nao pague (mas tambem nao lê).

    Por ultimo, “esperteza” para mim é alguem, como o Elias acima, querer proibir que um consumidor ou empresa possa comprar diretamente do fabricante (quem compra em grandes valores, sempre terá esse beneficio), e querer obrigar a todos, na marra (como? por lei federal passivel de prisao?) a só comprar de uma revenda ou integrador… Isso é o cumulo dos absurdos, é o velho comodismo do empresario brasileiro desejando, como sempre, benesses, protecoes contra a competicao, cotas e reservas de mercados de todos os tipos, unicamente para seu proprio beneficio. Esses tempos de muletas para empresarios precisam acabar!… (da mesma forma que o excesso de burocracia, de normas e regulacoes, e do insano sistema tributario brasileiro, que tambem deveriam ser varridos… Mas protecao e reserva de mercado para alguns, NUNCA! Tem que haver competicao e liberdade ao consumidor!).

    .

  5. Elias disse:

    Rubens, eu respeito a vossa opinião em relação ao meu comentário, sobretudo, NÃO concordo, e também NÃO estou sozinho nesse pensamento.

    Eu sou apenas um simples e pequeno integrador, que NEM CARRO TEM!!!

    Não sou um empresário que quer proibir o consumidor comprar da forma correta que é pela revenda, e, NENHUM MOMENTO MENCIONEI PROIBIR O CONSUMIDOR COMPRAR DIRETO DO FABRICANTE, QUE FIQUE CLARO ISSO!

    Eu, como os demais colegas, sejam eles pequenos, médios ou grandes integradores e empresários, SOMOS HUMANOS e precisamos pagar as contas e principalmente nos alimentar, e, acho um absurdo o consumidor final comprar direto do fabricante e/ou distribuidor, mas NÃO sou nada contra em o consumidor comprar no exterior (desde que pague pelos meus serviços, consultoria pela orientação de compra, marca, modelo e etc), até porque os valores aqui nesse país são IMORAIS.

    Eu não sou um cara com ´´esperteza´´ querendo impor regras e normas que obriguem o consumidor a comprar nas revendas, só para constar, isso se chama comércio, e dessa forma que a economia gira em qualquer local desse planeta, eu não diferente de ti ou qualquer outra pessoa, quero apenas tentar sobreviver em um país recheado de consumidores residenciais e corporativos metidos a espertinhos, passando por cima de você, pegando todas as suas informações, projetos consultoria e comprando direto com os fornecedores ou até mesmo na concorrência..

    Volto a afirmar, em país de terceiro mundo como o nosso, não é tão surpreendente, eu e demais pessoas que compartilham a mesma ideia, depararmos com situações do tipo, o Brasil, está longe de ser evoluído em diversos aspectos, dentre eles: tecnológicos, financeiros, educação e culturalmente em diversas áreas, pois 82% da população INDEPENDENTE da classe sócio econômica são ignorantes, hipócritas, cínicos, egoístas, falsos e ingrato (doa a quem doer), falo por pura, dura e indiscutível experiência profissional que completará 23 anos em abril, por isso, tenho conteúdo mais do que o suficiente para escrever um livro sobre isso, e expor a minha dor e experiência vivenciados nesse tempo.

    O Mundo gira as coisas mudam, saem do lugar rumo a evolução, novas tendências, comportamentos, progresso e etc, mas NÃO vou ficar quieto vendo esse tipo de sacanagem acontecer, e me preocupando como vou pagar as contas e sobreviver dia após dia.

    Agora um exemplo:

    Imagine uma grande empresa, uma rede de super mercados, com 592 funcionários diretos, e mais uns 224 indiretos (e o número é maior, pois cada funcionário poderá ter de duas até cinco pessoas na sua família que dependam do salário da empresa na qual ele trabalha, e os terceirizados que prestam serviços).

    Agora imagine Rubens essa enorme rede supermercados com várias lojas espalhadas em alguns estados, sofre uma ´´rasteira comercial do destino´´ e TODOS os fornecedores dessa rede de supermercados, se reúnem e resolvem vender diretamente para a população os mesmos itens mais baratos que vendiam para essa enorme rede de supermercados – Oque você acha que vai acontecer Rubens? Eu lhe digo, a rede de supermercados vai falir, poderá NEM PAGAR os direitos trabalhista de todos os funcionários, que nesse exemplo são no mínimo 422 pessoas com duas até cinco pessoas ou mais na família que dependem dele, fora os terceirizados, como vão pagar aluguel, prestações da casa, alimentos e etc – Seria eu o cara da ´´esperteza´´?, Tenho esperança que dessa vez, nosso país possa ficar menos pior em relação ao estrago que sofreu nos últimos doze anos e alguns meses, mas o nível intelectual, comportamental, cultural,social, dentre outras características de pessoas evoluídas, NÃO MUDARÁ INFELIZMENTE.

    Com essa argumentação em minha defesa, eu encerro esse longo texto (me desculpe por isso), porém é importante eu ressaltar que RESPEITO a vossa opinião Rubens, mas não concordo com ela´´ pois há uma diferença GIGANTE em que respeitar não significa a obrigação em concordar, o respeito deverá SEMPRE SER CONQUISTADO E PREVALECER em todas as frentes de cenários, pois somente a educação poderá salvar nós de nós mesmos – Isso é democracia.

    PS: Eu NUNCA PRECISEI E JAMAIS PRECISAREI DE ´´MULETAS´´(Se Deus quiser), pois tenho resistência física mais do que o suficiente para andar como sempre faço, (pois NÃO tenho carro, enquanto muitos, PARA IREM ATÉ A PADARIA ou QUALQUER LUGAR QUE FICA A 189 mts distancia, vão de carro) e eu ando entre 3 km a 9,6 km por dia com ou sem mochila, e 79% das vezes, estou com mochila, e ela chega estar com pelo menos entre 19 kgs a 21,5 kgs (capacidade da mochila são de 30 Kgs) por isso eu sou auto suficiente e sobrevivente em um país de terceiro mundo, sem um verdadeiro alicerce de educação, cultura e evolução.

    Desejo-te $uce$$o!

  6. Clesio Moscato disse:

    Você foi ótimo Elias!!! Faço das suas palavras as minhas!

  7. Elias - Mundo Digital disse:

    Olá Clesio, td bem? É bom vê-lo por aqui!!

    Precisamos nos unir para mudar o mercado onde todas as partes profissionais e clientes saiam ganhando, pois tem que ser um “jogo de ganha-ganha” e não “jogo ganha-perde”.

    Obrigado pelo apoio!

    Ab$ e bon$ negócio$

Deixe uma resposta