Se é de graça, desconfie

4 de fevereiro de 2019

Recomendo a todos assistirem à entrevista do prof. Silvio Meira, um dos maiores especialistas brasileiros em tecnologia, no Roda Viva de duas semanas atrás. Venho acompanhando seu trabalho há vários anos, principalmente a partir do sucesso do C.E.S.A.R. (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), fundado em 1996, mas que decolou mesmo quando o falecido Eduardo Campos assumiu o governo de Pernambuco com a ideia de modernizar o estado. 

São vários os ensinamentos contidos na entrevista (o link é este). Entre outros, faz lembrar, e nunca é demais, que os problemas do mundo atual e os do Brasil em particular não são causados pela tecnologia mas, sim, pelos seres humanos que a utilizam. Um dos entrevistadores pergunta, por exemplo, se é possível escapar da “ditadura” das redes sociais, e a resposta é cristalina: “Mudam as plataformas, mas as pessoas continuam com as mesmas necessidades. Na Antiguidade, muitos não aceitavam a escrita, vista como ameaça à interação humana. Antes, você precisava de um cartão de visitas para procurar emprego; hoje, existe o Linked In”.

Essa discussão remete ao fato de muitos acharem que tudo na internet deve vir de graça. Aqui mesmo neste humilde blog, um leitor tempos atrás questionou o link para um artigo do hometheater.com.br. Problema: o artigo está na área fechada do site, restrita a assinantes. O leitor achou que não valia a pena pagar “apenas para ler um artigo”. Pior foi outro, que – na maior cara de pau – pediu que o link lhe fosse liberado gratuitamente, talvez como “cortesia”.

Como disse o prof. Meira, ninguém é obrigado a usar a internet, muito menos as redes sociais, ou mesmo o celular. É legítima a opção de se isolar do mundo. Agora, acrescento eu, pensando bem, nem isso é de graça!

4 Replies to “Se é de graça, desconfie”

  1. Elias - Mundo DIgital disse:

    Orlando, essa matéria foi SENSACIONALl!!!

    Concordo vorazmente em que as pessoas NÃO sabem usar as redes sociais, internet e a tecnologia como um todo, pois a maioria são ANALFABETOS DIGITAIS E IGNORANTES ALÉM DE SEREM ANALFABETOS FUNCIONAIS TAMBÉM (doa a quem doer, verdade seja dita) e não apenas isso, mas toda uma cultura e contexto em torno desses e outros inúmeros assuntos que compõe a evolução humana e a construção de uma sociedade justa rumo ao progresso e a igualdade.

    Eu particularmente me encaixo em perfeita harmonia sobre a questão das pessoas TEREM o direito de não se sentirem obrigadas a usarem a internet ou mesmo ter um celular, eu por exemplo, ou qualquer outra tenologia (apesar que existem situações que realmente, não tem por onde fugir) NÃO uso o WhatsApp, uso apenas o Telegram por causa de acompanhamento de conteúdos e informações técnicas e aprendizados de uma conceituada empresa, e tenho sorte, pois quase ninguém me chama no Telegram.

    Eu não ´´gosto´´ do whatsapp, porque é muita encheção de saco e perturbação com mensagens toscas, de fotos, figuras, texto fúteis, mensagens de ´´bom dia´´ boa tarde boa noite, bom final de semana´´ e todos esses conteúdos lixos que as pessoas desocupadas costumam ficar disparando várias vezes ao dia sobre diversos assuntos IMPRODUTIVOS E TOSCOS, e etc, por essa razão, eu desinstalei o whatsapp, e quando eu menciono isso para as pessoas, 98,76% me veem como um ALIENÍGENA, homem das cavernas, um louco, um atrasado tecnológico e social entre outras definições

    A maioria das pessoas, não sabem usar o whatsapp ou qualquer outra tecnologia a seu favor, o whats em si é uma boa ferramenta, mas ainda está muito longe de ser excelente, pois ao contrário do que dizem, o whatsapp NÃO chega ser tudo isso, ajuda muito, mas não é a última garrafa de água gelada no deserto (reconheçam e aceitem isso que dói menos), pois a popularidade da ferramenta, faz ela parecer muito mais do que realmente é, mas a ´´modinha´´´no momento é o Whatsapp e Facebook, mentes limitadas e manipuladas fica sem evolução, fazer oque não é mesmo ??

    Sou visto como um esteriótipo, um louco, como pessoa sem evolução, pelo fato de tentar sobreviver trabalhando com tecnologia em um país onde a maioria são ignorantes, desrespeitosos, espertinhos, desentendidos do assunto (e isso vale para clientes residenciais e corporativos também, afirmo isso baseados em fatos durante anos e inclusive nos últimos 28 dias com cliente residencial e corporativos onde esse por último compra TUDO DIRETO DO FABRICANTE, ATROPELANDO REVENDAS E INTEGRADORES EM GERAL PAGANDO APENAS PELO SERVIÇO, ESSE TIPO DE CLIENTE ME FAZ MAL FINANCEIRAMENTE E DISPENSEI O MESMO, além da sociedade em geral).

    E sobre as pessoas pedirem coisas de graças ou acharem muito caros (nesse caso clientes), ou ficarem ´´assustados com valores cobrados por produtos e/ou serviços, é a mais pura falta de respeito com os profissionais e empresas em si, falta de noção, sensatez, educação e o ingrediente final, – EXCESSO DE ESPERTEZA – É por isso, que esse país por mais belo, maravilhoso, grande, primoroso, produtivo NÃO IRÁ PARA FRENTE tão cedo, com pessoas mesquinhas, (independente da classe social e financeira, mas sim da sua mentalidade LIMITANTE E AO MESMO TEMPO ATROFIADA E EGOÍSTA), enquanto não evoluírem mentalmente, espiritualmente e socialmente, JAMAIS SEREMOS UMA GRANDE NAÇÃO!!

    Talvez algum dia, eu reinstale o Whatsapp, por pura questão profissional, pois se começarem a me perturbarem novamente, eu simplesmente bloqueio, seja quem for tanto pessoal como profissional, precisa impor disciplina, rigidez e ordem, somente assim as coisas seguem o rumo que deverão seguir.

    Abraço a todos.

  2. Jarede disse:

    Não me peça para dar de graça a única coisa que tenho para vender! Cacilda Becker.

  3. Rubens Pires disse:

    Vale também:”jamais peça para uma pessoa fazer de graça aquilo que ela faz para viver”.Como médico,sinto na pele as “consultas grátis” que me solicitam a toda hora com a justificativa do “pude me tirar uma dúvida?…

  4. Rubens disse:

    Eu acho essa questao tao simples: quem vende nao tem nenhuma obrigacao de vender de graça, OBVIO! Mas, por outro lado, quem compra tambem nao tem a menor obrigacao de pagar o que é pedido… Paga se quiser e achar que existe um custo/beneficio. Se uma pessoa nao quer pagar para ler apenas um artigo, nao pague (mas tambem nao lê).

    Por ultimo, “esperteza” para mim é alguem, como o Elias acima, querer proibir que um consumidor ou empresa possa comprar diretamente do fabricante (quem compra em grandes valores, sempre terá esse beneficio), e querer obrigar a todos, na marra (como? por lei federal passivel de prisao?) a só comprar de uma revenda ou integrador… Isso é o cumulo dos absurdos, é o velho comodismo do empresario brasileiro desejando, como sempre, benesses, protecoes contra a competicao, cotas e reservas de mercados de todos os tipos, unicamente para seu proprio beneficio. Esses tempos de muletas para empresarios precisam acabar!… (da mesma forma que o excesso de burocracia, de normas e regulacoes, e do insano sistema tributario brasileiro, que tambem deveriam ser varridos… Mas protecao e reserva de mercado para alguns, NUNCA! Tem que haver competicao e liberdade ao consumidor!).

    .

Deixe uma resposta