Variedade de tamanhos, formatos e painéis são uma marca registrada da CES, desde sempre. Tudo que o visitante espera ao chegar em Las Vegas é ver dezenas, centenas de telas de todos os tipos e, se possível, compará-las. Para quem é aficcionado, os dois primeiros dias aqui em Las Vegas devem ter sido equivalentes àquelas séries em que o espectador fica ansioso a cada novo episódio ou temporada.

Se houvesse uma série no Netflix para retratar o mercado mundial de TVs, poderia muito bem se chamar “OLED vs MiniLED”. No caso, o personagem “miniled” estaria substituindo o antigo “LCD”, já que essa sigla quase não é mais pronunciada. Não há vilão nesse enredo (ou talvez não haja mocinho…), mas é fato que os painéis MiniLED estão sendo adotados por quase todos os fabricantes. OLED continua sendo um desafio para toda a indústria, como mostramos neste post.

Aqui na CES, temos pelo menos quatro marcas mundiais disputando a preferência do consumidor, e cada uma delas mostra uma estratégia. Chamou atenção, por exemplo, o fato da Samsung (líder inconteste) não exibir suas TVs OLED – houve apenas uma apresentação fechada, fora da feira, dos modelos S95D e S90D, a ser lançados em meados do ano (aqui, mais detalhes). Todo o foco da empresa foi para o MiniLED, representado pela linha Neo QLED (4K e 8K), que passou por um excelente upgrade. Vimos no estande até TVs MicroLED, que continuarão sendo nicho, mas nada de OLED!

Já a LG, como de costume, demonstrou uma enorme variedade de TVs OLED: além das convencionais B4, C4 e G4 (foto acima), que este ano substituirão as B3, C3 e G3 com maior capacidade de processamento, temos a Posé (com suporte de chão), que continua; a Flex, voltada para gamers; a M4, primeira OLED sem fio, que este ano finalmente será colocada à venda; e até o modelo T, com tela transparente, embora ainda não haja previsão de lançamento.

As outras duas marcas que estão brilhando nesta CES 2024 são chinesas: TCL e a surpreendente Hisense, que chega oficialmente ao mercado brasileiro em junho (vejam aqui). Ambas apostando alto no MiniLED, mas com estratégias aparentemente distintas. Enquanto a TCL mostra tecnologia suficiente para exibir um modelo de 115″ (sem falar em sua MicroLED de 163″!!!), mas quer preservar sua forte presença no segmento de telas menores, a Hisense pretende disputar a liderança em telas grandes. Não por acaso, está exibindo aqui sua MiniLED ULED X, que vai de 75″ a 110″, e a 8K Sonic Laser TV, que combina tela de alto ganho com projeção a laser de ultra-curta distância.

Nos próximos posts, vamos detalhar melhor cada uma dessas estratégias.

1 thought on “OLED vs MiniLED – nova temporada

  1. Olá Orlando .

    Agradecemos muito pelas informações . Conhecimento ,cultura !!

    Eu sempre fui um apaixonado pelos televisores Panasonic e Sony mas as Japonesas deixaram o mercado Brasileiro e assim estou torcendo muito para que outros fabricantes de televisores venham ao Brasil para competir com Lg , Samsung e TCL . Importante pra todos nós esta disputa mas que tenhamos é claro na prática qualidade de imagem e assim irão ganhar espaço também !!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *