Google aposta na casa inteligente

10 de julho de 2020

Em evento virtual esta semana, desenvolvedores do Google foram informados de que a automação residencial é a grande aposta da empresa para colocar seu assistente de voz dentro das residências. Perdendo terreno nas vendas avulsas de aparelhos, setor em que é praticamente impossível bater o Alexa, executivos do Google buscam se aproximar dos devs com o conceito Smart Home

Quando se fala em desenvolvedores, nesse caso, é preciso pensar em nomes como Crestron, Savant, Control4, Lutron, Legrand, Belkin, Sonos, Philips, Logitech, Netgear, Z-Wave e tantas outras que disputam o mercado de automação. E também em Samsung, LG, Sony, TCL, Panasonic, Marantz, Onkyo, Denon, Harman, B&W, Yamaha… No evento Smart Home Summit, representantes dessas e de outras centenas de empresas receberam sinal verde para usar novos recursos Google em seus produtos. Em abril, eles já haviam sido informados sobre o SHED (Smart Home for Entertainment Device), um conjunto de APIs que visa tornar o Google Assistente onipresente pelo mundo afora.

API (Application Programming Interface) é um pacote de softwares e ferramentas fundamentais para quem desenvolve aplicativos. Com o tal SHED, a promessa é de que o usuário poderá controlar vários de seus aparelhos por voz a partir de sua TV ou celular, algo que muitos já interpretam como “a morte do controle remoto”. A nova versão do Android, que sai em setembro, já terá recursos caminhando para isso.

Fabricantes de TVs Android (atualmente no Brasil, TCL e Sony) poderão incluir tais inovações em seus novos modelos. Mas também os fabricantes de receivers, caixas acústicas, eletrodomésticos e outros aparelhos que quiserem integrá-los à automação.

A propósito, temos acompanhado de perto a evolução desse segmento através do hot site Smart Home. Com as pessoas passando mais tempo em casa, tudo indica que teremos uma expansão do setor. E os assistentes virtuais são parte integrante da popularização dos sistemas smart. 

Deixe uma resposta