TV paga para as classes C e D

9 de abril de 2008

Se a TVA ataca nos Jardins, a Net busca os pobres. Em entrevista ao Meio&Mensagem desta semana, o presidente da Net Serviços, José Felix, anuncia os planos da operadora para vender pacotes de TV por assinatura às classes C e D. A C é a classe que mais cresce no País, como comprovou reportagem da semana passada na Revista Veja (leia aqui).

O novo pacote de triple play da Net sai por R$ 39,90. A idéia é vendê-lo àqueles que nunca tiveram TV paga e, mais tarde, convencê-los a fazer os devidos upgrades. A Net, como tantas empresas neste momento, aposta que as chamadas classes populares continuarão melhorando seu padrão de renda e de consumo. E conta com um trunfo enorme: a rede já está instalada, ou seja, é só absorver o custo de anunciar a novidade e colocar os decoders nas casas dos novos assinantes. “É uma semente para o futuro”, diz Felix.

Na mesma entrevista, porém, o executivo escorrega de modo similar ao de seus colegas da TV aberta, ao criticar a implantação da TV Digital. Segundo ele, a Net já ofereceu seu sinal a todas as redes abertas, mas estas não querem pagar o custo do chamado carrying (o transporte do sinal). De fato, esse é um problema: ninguém quer pagar por nada. Só o consumidor é que não tem essa opção. É pagar ou pagar!

Nem Net nem TVA ainda explicaram como farão para carregar sinais de alta definição em bandas que são, por natureza, limitadas. Mas executivos da TV aberta criticam a TV paga (e vice-versa), por causa de seus respectivos modelos de negócio. Na prática, o que falta é um número maior de operadoras para gerar concorrência, melhores serviços e preços mais atraentes.

Será que um dia teremos isso no Brasil?

Um comentario para “TV paga para as classes C e D”

  1. Eduardo Heritier disse:

    Já notaram que o mercado vem esquecendo da classe B? Se continuarmos assim (terceiro mandato), logo ela nao existirá mais. “No Brasil teremos 2 tipos de pessoas: As que tem fome e as que tem medo”.

Deixe uma resposta