Apple joga os preços para baixo

10 de setembro de 2019

 

À primeira vista, o mais importante no “Apple Day” desta terça-feira não foram propriamente os produtos apresentados: iPhone 11, iPhone 11 Pro, iPad 7 e Apple Watch 4. Nem os novos serviços de streaming Apple TV+, concorrente direto do Netflix, e Arcade (para games). A novidade está nos preços de tudo isso, bem abaixo do que se viu um ano atrás. 

Vários sites internacionais repararam na mudança, sendo mais marcante o caso do Apple TV+, oferecido nos EUA por US$ 4,99 ao mês (começa a funcionar em novembro), mesmo valor do Arcade (que entra no próximo dia 19, já com 100 jogos exclusivos). E há um bônus: na compra de qualquer dispositivo Apple, ganha-se um ano grátis do TV+. Algo que nem Netflix ou Disney podem oferecer, a menos que se acertem com algum fabricante (o que não deve ser descartado).

A Apple também tem investido na produção de filmes e séries, justamente para alimentar o TV+, que parece ser a grande aposta da empresa para compensar a queda nas vendas de iPhones e iPads, problema que a fez perder a posição de #1 do mundo. O jornal The Washington Post observa que, se alguém quiser assinar todos os serviços da empresa (Apple TV+, Apple Music, News+, iCloud e Arcade), irá desembolsar nada menos do que US$ 479,40 por ano.

Quem se habilitará?

Em tempo: no Brasil, a Apple anuncia mensalidade de R$ 9,90 para o TV+.

Um comentario para “Apple joga os preços para baixo”

  1. Gilmar S de Souza disse:

    O futuro da TV,, Mas uma pena que neste caso só quem tem o aparelho da Appe (caríssimo) é quem poderá assinar e assistir..

Deixe uma resposta