Mercado de telecom se abre aos dólares

24 de abril de 2021

 

Em agosto passado, comentávamos aqui sobre o movimento surgido entre as emissoras de rádio e TV para revogar as limitações ao capital estrangeiro no setor. Ameaçadas pelas gigantes do streaming, que já lhes roubam audiência e faturamento, as grandes redes mudaram sua histórica postura e se abriram para conversações com possíveis interessados (vejam aqui).

Agora, o site Teletime revela que está na mesa do presidente da República uma proposta para simplesmente revogar por inteiro o famoso decreto 2617, de 1998, que proíbe a participação de estrangeiros no mercado de telecom. Na época, em meio às privatizações da telefonia, era tabu pensar que uma Rede Globo, por exemplo, fosse controlada por não brasileiros. A própria Globo foi forçada a rever seus conceitos.

Como informa o site, após ouvir diversas fontes do setor, praticamente todo mundo concorda que esse decreto não tem mais cabimento. E o governo brasileiro vem sendo pressionado por organismos como a OCDE para eliminar de vez as burocracias e as ingerências políticas que travam o desenvolvimento das telecomunicações no país. Bolsonaro, que se elegeu prometendo mais liberdade econômica (o tal “Mais Brasil, menos Brasilia”), já tem à mão todos os dados para decidir.

Mas ainda há receio de que, abrindo-se o mercado, a China – sempre ela – tome conta de tudo. Um outro temor, este mais concreto, vem do único grupo de telecom que não apoia a abertura: a Rede Record, que tem forte influência sobre o governo federal e demonstra não se sentir à vontade diante de concorrentes. Vamos ver até onde vai essa influência.

Deixe uma resposta