Monitor IPS, para quem ainda precisa de monitor

30 de agosto de 2020

 

Apesar do crescimento dos notebooks, e da incrível quantidade de coisas que se pode fazer hoje com um smartphone, muita gente faz questão de manter em casa um desktop. Cerca de dez anos atrás, quando os computadores portáteis ultrapassaram em vendas os de mesa, muitos pensaram que estes iriam sumir do mapa. Ainda não há dados oficiais, mas tudo indica que, com a pandemia, os velhos desks retomaram o fôlego.

Quem precisa do computador para trabalhar com imagens, por exemplo (pense em arquitetos, designers, produtores de vídeo…), não pode prescindir de um bom desktop. E necessita de telas grandes também. A quantidade de lançamentos nos últimos meses confirma.

Na semana passada, a Samsung lançou mais um monitor 4K, seu primeiro com painel IPS. É uma mudança e tanto, considerando que a rival LG é a fabricante que mais utiliza esse tipo de painel, não só em monitores mas também em grande parte de seus TVs de tela grande. O modelo Samsung UR55 (foto) é um dos mais avançados da atualidade, com tela 4K de 28 polegadas compatível com vídeo HDR10+ e uma série de recursos interessantes para quem usa monitores no trabalho ou em games. Vejam mais detalhes aqui

A questão do painel IPS (In-Plane Switch) merece alguns comentários. Essa tecnologia foi lançada pela japonesa Hitachi nos anos 1990 e demorou a pegar. Até pouco tempo atrás, os monitores para PC se dividiam em duas categorias: VA (Vertical Allignment) e TN (Twisted Nematic), esta muito mais comum, enquanto a primeira dominava o segmento de TVs. Estamos falando de displays à base de cristal líquido (LCD), em que o painel precisa ser perfeitamente alinhado com o backlight para produzir cores corretamente saturadas; monitores OLED produzem a própria luz, o que traz várias vantagens, mas também são mais caros.

Entre os três tipos de painel LCD, IPS é considerado o mais eficiente porque as moléculas de cristal líquido são melhor controladas (vejam acima), resultando em maior gama de cores, níveis mais altos de contraste e menos distorção em ângulo – pode-se olhar a tela de lado que a imagem não perde definição, problema comum nos monitores TN. Por esses motivos, os painéis IPS são mais caros. Mas, para quem prefere LCD, e quer trabalhar com imagens 4K, proporcionam o melhor custo-benefício. 

Deixe uma resposta