Orlandobarrozo.blog.br

Tecnologia para tudo (e para todos)

Audiência das TVs e ascensão do streaming

10 de junho de 2021

Já comentamos aqui algumas vezes, mas agora parece que está aumentando o clima de tensão entre as emissoras de TV e os canais pagos diante do crescimento exponencial dos serviços de streaming. Como reagir? Os últimos dados da Anatel confirmam a perda de assinantes nas operadoras, que tentam compensar com novos serviços digitais envolvendo maior oferta de banda larga – esta uma commodity fundamental hoje em dia.

Os dados mais recentes mostram que a audiência das redes abertas não para de cair. Com exceção de eventos esparsos como transmissões de futebol ao vivo (em jogos decisivos, como os mata-mata da Libertadores) e agora da CPI da Covid, a média de público sintonizado nos canais tradicionais se reduz a cada dia. Segundo o Kantar/Ibope, a Rede TV perdeu 30% de sua audiência entre janeiro e abril, seguindo tendência já registrada ao longo de 2020. Na Globo, a queda foi de 10%, e na Record, 8%.

Na TV paga, um terço da audiência evaporou entre maio de 2020 e abril 2021, enquanto o índice de aparelhos ligados diminuiu 10%. Mas, como lembra bem o blog Noticias da TV, do UOL, isso não significa que toda essa gente está migrando para o streaming. Há outras fontes de entretenimento competindo nesse jogo: videogames, YouTube e até mesmo o DVD, vejam só!

Interessante notar ainda que está se consolidando uma concentração na TV paga, em torno dos canais mantidos pela Globo (ex-Globosat). Seis dos dez mais assistidos pertencem ao grupo: Viva (líder disparado), Globo News, Multishow, SporTV, AXN e Megapix. Houve pequeno crescimento de CNN e Record News, confirmando o interesse maior do público pelo chamado hard news; e uma queda sensível do Cartoon Network, que já foi líder por muitos anos.

Pelo visto, as crianças se cansaram dos desenhos tradicionais e estão preferindo joguinhos de celular – o que, confesso, não sei se é bom ou ruim.

3 Replies to “Audiência das TVs e ascensão do streaming”

  1. José Humberto Borges disse:

    As crianças assistem youtubers. Aqui em casa tem 3, só youtube. às vezes Netflix ou Disney.

  2. Edison Ciscon disse:

    Depois que troquei minha TV por uma de tecnologia OLED em fevereiro desse ano, de todos os canais que assistimos em casa, 90% é do YOUTUBE.

  3. Paulo disse:

    O conteúdo da TV paga já não tem justificado o alto valor cobrado aqui no Brasil. Eu mesmo tenho interesse por menos de cinco canais e todos eles só estão disponíveis nos pacotes mais caros. Logo, não assino e fico no streaming, onde posso escolher o que quiser e ver nos momentos que eu puder. TV aberta já era há muito tempo, só falta algumas pessoas mais “velha guarda” perceberem isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *