Em busca da super-imagem

3 de agosto de 2008

Até onde eu saiba (e me corrijam se estiver errado), a melhor imagem disponível atualmente – quando se fala de vídeo e televisão – é a dos projetores chamados 4K. De tudo que vi até hoje, nada se compara em nitidez, resolução, intensidade de cores, brilho e contraste. “4K” se refere basicamente à resolução: esses aparelhos conseguem chegar a 4.096 pixels verticais, mais que o dobro dos Full-HD (1.920). A Sony, por exemplo, desenvolveu a tecnologia SXRD a partir dessa resolução e disputa hoje o segmento de salas de projeção (cinemas digitais) com concorrentes como a americana Christie.

Pois bem, preparem-se para a geração 8K. No evento CommunicASIA, realizado em Cingapura em junho, a rede de TV japonesa NHK demonstrou a tecnologia Super Hi-Vision, que traz os primeiros displays com resolução próxima a 8 mil pixels. São 7.608 pixels verticais por 4.320 horizontais. É só fazer a conta: mais de 32 milhões de pixels! O resultado é esse que você vê aí acima: uma tela de 6m60x3m70, exibindo imagens geradas por uma câmera de estúdio 8K, que segundo o blog Engadget deixou boquiabertos os visitantes do evento – detalhe: quase todos especialistas em tecnologias de projeção e broadcast.

A NHK não está sozinha nessa parada. Ganhou a preciosa companhia da BBC, a mais importante rede de televisão do mundo, que anunciou para setembro a primeira exibição pública em Londres. A BBC tem especial interesse na tecnologia 8K porque as Olimpíadas de 2012 serão na Inglaterra, e a emissora, é claro, será a geradora das imagens para o mundo. Na verdade, resolução de 8K já vem sendo usada, experimentalmente, no Japão e nos EUA, para gerar alguns tipos de conteúdo muito especiais. Quem já foi a um cinema Imax, por exemplo, com suas projeções em 3D, viu imagens originalmente geradas em 8K e depois convertidas para 2K ou 4K, dada a falta de projetores 8K. A própria NHK já trabalha nessa tecnologia desde 2002.

Agora, essa realidade pode começar a mudar. O mais incrível é que o mundo inteiro ainda discute a implantação do Full-HD, e estamos falando de uma resolução 16 vezes maior, certo? Aonde isso vai parar? Este artigo, de Martin Williams, da IDG, ajuda a dar algumas pistas.

Só para atiçar a curiosidade dos audiófilos de plantão: as demonstrações no evento de Cingapura contaram com um sistema de áudio 22.2 canais. Não, você não leu errado: 22.2!!!

2 Replies to “Em busca da super-imagem”

  1. Ronaldo Franchini disse:

    Vi informações na internet de que o novo filme do James Bond, a ser lançado no final do ano, teve as cenas de ação gravadas originalmente com câmera Sprint 8K.

  2. Marcos disse:

    Não muda muito para o consumidor doméstico, só uma minoria muito abastada possui um orçamento e espaço apropriados para uma tela compatível com tanta resolução.

Deixe uma resposta