Denon compra Onkyo: como isso é possível?

15 de maio de 2019


No segmento de home theater, a grande notícia mundial da semana (pelo menos até agora) é a compra da Onkyo/Pioneer pelo grupo californiano Sound United. Já falamos desse grupo aqui, dois anos atrás, quando adquiriu a D+M Holdings, dona das marcas Denon e Marantz. Juntas, estas duas devem representar algo em torno de 50% do mercado mundial de receivers AV. Pois agora o Sound United dá um passo ainda maior, ao assumir o controle da divisão de áudio da Onkyo Corporation, que, por sua vez, anos atrás havia incorporado a Pioneer, como relatamos neste post.

Vejam quantas marcas de peso estão citadas nesse parágrafo. Poderíamos acrescentar Polk Audio e Boston Acoustics, também pertencentes ao Sound United, que ainda é dono das caixas Definitive Technology e dos processadores Classé. Somando tudo, torna-se o maior fabricante de equipamentos de áudio/vídeo, embora boa parte desses produtos seja “made in China”.

Conversei com Blair Tripodi, diretor do grupo, na época da compra da D+M, e sua estratégia pareceu focada no longo prazo, o que agora se confirma. O nome desse jogo é capilaridade, o que pode ser traduzido por ter produtos para todos os tipos de consumidor e distribuídos da forma mais horizontal possível. Dificilmente você vai entrar numa loja de eletrônicos nos EUA e não encontrar uma dessas marcas (pelo menos uma).

No Brasil, claro, a conversa tem de ser diferente. As marcas se dividem entre vários distribuidores, que arcam com os custos de importação e entrega às revendas especializadas – coisas que, na época, Tripodi me disse não pretender mudar. Apenas para ilustrar, vejam como se dividem agora no Brasil as marcas do Sound United:

Onkyo e Polk Audio – Disac

Integra e Classé – Som Maior

Denon e Definitive Technology – Chiave

Marantz e Boston Acoustics – Impel

5 Replies to “Denon compra Onkyo: como isso é possível?”

  1. Valdeir Aparecido da Silva disse:

    A Onkyo não tinha sido comprada por um grupo chinês?

  2. Seria a Sound United a Legrand do audio?

  3. Orlando Barrozo disse:

    Não, Valdeir, pertence à mesma família (Ohtsuki) que fundou a empresa em 1946. Abs.

  4. Erodes disse:

    Interesante. Resta agora os distribuidores aqui do Brasil rever as situações e tentar não lucrar tanto em uma aparelho, por EX: um rceiver denon 8500, custar o valor de um automóvel.

  5. Luiz Lana disse:

    Uma tendencia de mercado é grandes Grupos se formarem para otimização do mapeamento comercial e turbinar a competitividade entre gigantes.
    O questionável neste evento é que ninguém vende galinha dos ovos de ouro.
    Por isto sempre digo, politicas comerciais alinhadas e igualitárias entre canais do mesmo perfil, integradas com pós venda Hi quality, preservam a continuidade e produção dos ovos de ouro.

Deixe uma resposta