BNDES e IoT: será uma nova fase?

18 de julho de 2019

Leio no site Teletime que o BNDES, após tantas polêmicas e negócios mal explicados, está iniciando seu primeiro projeto-piloto de IoT (Internet das Coisas). A proposta partiu do C.E.S.A.R., de Recife, hoje um dos mais importantes centros de pesquisa do país, e de uma startup chamada Salvus. Trata-se de um sensor que, acoplado ao tubo de oxigênio, permite monitorar com mais precisão o fluxo de ar para pacientes com enfisema pulmonar.

Sem entrar nos detalhes técnicos, o simples fato de ver o Banco envolvido em algo do gênero já é alentador. É um projeto orçado em R$ 2 milhões, metade dos quais financiada pelo BNDES, envolvendo cerca de 1.000 voluntários cuja evolução clínica será monitorada e analisada ao longo de 16 meses. 

Pesquisando no site do Banco, encontrei inúmeros projetos que já foram enquadrados no programa “Pilotos IoT”, atendendo não apenas a área de saúde, mas agropecuária, telecomunicações, segurança e gestão pública, meio ambiente, saneamento, eficiência energética e várias outras (vejam aqui). A impressão é que ficaram para trás os tempos das “empresas campeãs”, financiadoras de campanhas políticas que eram premiadas com fartas verbas a juros de mãe (lembram disto?).

Bem, por enquanto é apenas impressão. Teremos de acompanhar atentamente as atividades do banco que, afinal, vive do meu, do seu, do nosso dinheiro. É fundamental que financie inovações, principalmente quando partem de pequenas e médias empresas, que não têm acesso a crédito bancário. E mais fundamental ainda que esses projetos sejam transparentes como – parece – está ocorrendo agora com IoT.

Um comentario para “BNDES e IoT: será uma nova fase?”

  1. Nardelli disse:

    Muito obrigado pelo artigo,Sr. Orlando.Preocupa-me que Isso não saia na grande imprensa.

Deixe uma resposta