TVs, cada vez mais “inteligentes”

29 de julho de 2020

Falamos aqui dias atrás sobre as inovações trazidas na linha 2020 de TVs Samsung, mas faltou mencionar que outros fabricantes caminham na mesma direção: explorar cada vez mais os avanços da Inteligência Artificial (IA). Vale não apenas para melhorar o desempenho dos TVs, mas também para produzi-los: os processos industriais estão dando saltos tecnológicos incríveis. Um post é pouco para analisar toda essa gama de inovações. Então, vamos por partes, começando pelo processamento de vídeo.

A nova geração de chips, além de maior capacidade de processamento (seguindo a famosa Lei de Moore), também traz respostas mais rápidas e a capacidade de aprendizado. Esta é definida pelas expressões Deep Learning, em que o dispositivo “aprende” com o uso contínuo; e Machine Learning, em que um dispositivo absorve “lições” de outro. Nos dois casos, amplamente adotados nos TVs top de linha das principais marcas, o que se consegue é um aprimoramento constante da performance.

Os processadores agora são capazes de identificar os parâmetros ideais de calibragem de vídeo para cada conteúdo – ou, indo mais fundo, para cada cena. Fazem isso baseados em dados de referência armazenados pelo fabricante e que podem ser acessados em tempo real; parte desses dados vem embarcada no próprio processador. E também baseados em sensores que analisam, por exemplo, a luminosidade do ambiente e indicam os ajustes mais adequados de brilho e cores. O consumidor pode interferir, se quiser, mas isso não é necessário: tudo acontece de forma automática.

É exatamente o que faz o recurso Dolby Vision IQ, agora introduzido nas TVs OLED LG e Panasonic (esta, por enquanto, ainda não no Brasil). Como se sabe, Dolby Vision é um software de processamento criado pela Dolby Labs como alternativa ao HDR; este é um código aberto, enquanto o uso do DV só pode ser feito pagando royalties à Dolby, motivo pelo qual empresas como a Samsung não o utilizam.

Na versão IQ, o processamento abusa dos metadados contidos nos conteúdos (filmes, séries etc.) para orientar o TV a reprodução. Analisa as condições de luz na sala e compensa, por exemplo, quando a cena é muito escura (confiram neste vídeo). Em breve, faremos o teste na prática e relataremos aqui.

Aguardem outros posts sobre os avanços da IA para áudio e vídeo.

3 Replies to “TVs, cada vez mais “inteligentes””

  1. […] os novos recursos de vídeo das TVs top de linha (4K e 8K) que estão chegando ao mercado este ano (vejam aqui), recursos esses que são de fato o que mais chama atenção quando se entra numa loja. Mas o som […]

  2. […] Para que tudo isso aconteça, os TVs contam com Inteligência Artificial (IA, ou “AI” como preferem alguns fabricantes aproveitando a sigla em inglês). IA define um […]

  3. […] os novos recursos de vídeo das TVs top de linha (4K e 8K) que estão chegando ao mercado este ano (vejam aqui), recursos esses que são de fato o que mais chama atenção quando se entra numa loja. Mas o som […]

Deixe uma resposta